DEPUTADO FEDERAL ABÍLIO SANTANA (PL)

DEPUTADO FEDERAL ABÍLIO SANTANA (PL)

Por João Paulo Almeida 

Bahia Econômica – A reforma da previdência do governo Bolsonaro prevê uma parte da aposentaria através da capitalização. Esse processo pode gerar problemas futuros para os aposentados que não terão como pagar grandes quantias para garantir suas aposentadorias. Como você avalia a possibilidade de capitalização da previdência?

Abílio Santana (PL) – Esse regime de capitalização é individual. Cada cidadão passa a ser responsável por sua aposentadoria, contribuindo todo mês durante um longo período de tempo. Mais tarde, quando tiver decidido se aposentar, pode sacar o valor total de uma vez ou retirar aos poucos, mas o dinheiro vai continuar rendendo. Esse sistema pode ser muito bom para o país, pois nosso país está com uma população envelhecida e os contribuintes que estão entrando no sistema atualmente não garantem a aposentadoria dessa população, por isso o governo precisa estancar o rombo para não deixar a pirâmide desabar. Isso é o que causa o déficit previdenciário.

BE- Como o senhor avalia a alteração da idade mínima de aposentadoria para os servidores públicos?

AB- O rombo do Regime Próprio de aposentadoria dos Servidores públicos em 2017 foi de cerca de 86 bilhões de reais, enquanto o déficit do INSS, meio de aposentadoria do setor privado, foi de 180 bilhões de reais, mais ou menos, então, mais do que o dobro do dos servidores públicos. É mais ou menos 1 milhão de servidores aposentados para 634.000 servidores ativos e, na medida que os servidores se aposentam e não tem reposição e o rombo previdenciário aumenta mais rápido! Por isso a importância da reforma nesse sentido.

BE- Como o senhor avalia a alteração na previdência do serviço militar?

AB-  Vejo essa alteração com bons olhos, pois a economia líquida com essa mudança na aposentadoria dos militares deve passar dos 10 bilhões de reais no curso de 10 anos! E o país precisa, urge por se recapitalizar.

BE- Como o senhor avalia a alteração da idade mínima para a previdência da população no geral?

AB–  Eu particularmente discordo, principalmente a aposentadoria da mulher da zona rural. Isso é muito regional, em nossa querida Bahia temos cerca de quase 50% de pessoas que vive da aposentadoria rural. Esse é um dos pontos que estamos dialogando no Congresso.

BE- O PL municipal vai seguir em apoio ao prefeito ACM Neto nas próximas eleições mesmo com o diretório estadual na base do governador Rui Costa 

AB – Eu, como presidente municipal do PL reafirmo que somos da base do prefeito ACM Neto, estou com o melhor prefeito do Brasil ate debaixo d’água. Em relação a 2020, apoiarei o vice-prefeito Bruno Reis por achar que é o nome forte e natural para suceder Neto, além de ser extremamente preparado para disputar a prefeitura de Salvador. Já deu provas disso. Quanto ao PL estadual, o conselho que vou é vir para a base de Neto”, explicou o presidente.