COLUNA POLÍTICA: LULA E OS 40 ANOS DO PT

COLUNA POLÍTICA: LULA E OS 40 ANOS DO PT

O Partido dos Trabalhadores completa 40 anos e tem o que mostrar a população brasileira, tanto no lado bom quanto no lado ruim. A problema é que a dificuldade em reconhecer o lado ruim simplesmente ofusca tudo de positivo que o partido fez para o Brasil. Nesse mundo polarizado pela internet, ninguém se recorda que os dois melhores presidentes que o país teve após a redemocratização foram Fernando Henrique Cardoso e Luís Inácio Lula da Silva.

O primeiro implantou o Plano Real, criou nossa moeda, acabou com a inflação e modernizou a economia, mas perdeu-se quando jogou seu legado para conseguir a qualquer custo a emenda da reeleição e melhor que não tivesse conseguido, pois seu segundo mandato deixou a desejar. O primeiro governo de Lula entra para a história como um governo que trouxe para o mercado 36 milhões de brasileiros, que ampliou o mercado interno sobremaneira e transformou em cidadão  milhares de marginalizados incluindo-os no mercado e ampliando seus direitos. Mas Lula e o  PTperdeu-se na corrupção ao aceitar um megalomaníaco sistema de propinas que envolvia a Petrobras, empreiteiras, que nunca tiveram qualquer compromisso a não ser com seus lucros exorbitantes, e políticos de todos os matizes e de todos os partidos que nunca tiveram compromisso com o país. Depois, sentindo-se dono de todo o poder, Lula fez de Dilma Rousseff – uma ignorante irresponsável, sem qualquer preparo e cheia de iniciativa e voluntarismo – a presidente do Brasil e junto com ela veio a maior recessão e o pior governo de nossa história.

Lula enlameou-se na corrupção e FHC no desejo imoderado de poder, mas ambos tem lugar no panteão dos melhores presidentes que tivemos. Naturalmente este artigo não vai ser reproduzido nas redes sociais de petistas e bolsonaristas, mas o que aqui se quer mostrar, mais que gerar uma polarização inútil, é que a vontade de manter o poder a qualquer preço terminou por manchar o trabalho dos dois presidentes e um dos motivos para isso, além da necessidade de uma reforma política, é o instituto da reeleição, um verdadeiro hospedeiro que cria e alimenta os parasitas do poder. O Brasil precisa aprovar uma emenda constitucional semelhante a que vigora nos Estados Unidos e que proíbe ao ex-presidentes qualquer candidatura a qualquer cargo, limitando a possibilidade de reeleição a um mandato apenas.

E quanto ao PT é cada vez mais claro que só existe uma saída: reconhecer os erros, para que assim se possa dar publicidade aos acertos. Se isso não for feito, o destino do partido será insular-se cada vez mais nos grotões do país, como hoje ocorre com o partido de Evo Morales na Bolívia, e a eleição para prefeito em 2020 vai mostrar, especialemnete nas capitais, que, sem reconhecer seus erros, o PT vai se alhear cada vez mais dos eleitores conscientes. O problema é que reconhecer os erros significa avisar a Lula que o seu tempo passou, que é hora de aproveitar os amores tardios, e deixar que uma nova liderança assuma os destinos do PT. (EP – 10/02/2020)