MARCUS ARAÚJO – ESPECIALISTA EM VENDAS DE IMÓVEIS – FALA SOBRE O MERCADO IMOBILIÁRIO NA BAHIA

MARCUS ARAÚJO - ESPECIALISTA EM VENDAS DE IMÓVEIS - FALA SOBRE O MERCADO IMOBILIÁRIO NA BAHIA

Por: João Paulo Almeida

Bahia Econômica- Quais as novidades que o mercado imobiliário pode esperar nos próximos anos ?

Marcus Araújo – Do lado dos consumidores, a nova fronteira são os serviços, o lazer e segurança já foram bem ofertados no último ciclo de 2009 a 2014. Agora as pessoas querem que os imóveis e os condomínios apresentem soluções para a vida delas.

BE- Como o senhor avalia a entrada dos aplicativos online para as compras e vendas de imóveis no mercado?

MA- O comprador de imóveis está 100% conectado, em Salvador, as nossas pesquisas primárias em 2019 registram de 7 a 8 h de conexão/dia no ambiente mobile. Assim, o empreendedor que não conseguir se inserir no ambiente on line terá dificuldades. Lembrando que ainda não é possível comprar imóveis on line e sim, encontrar os imóveis, o restante do processo ainda é em contato direto com empreendedor e sua estrutura de atendimento.

BE- Como o senhor avalia a alta da construção civil na Bahia em 2019?

MA- O mercado está retomando lentamente, mas ficará mais acelerado quando as novas propostas de imóveis com projetos e facilidades atualizadas chegarem. Os que inovaram, já se deram bem em 2019. Não adianta lançar um novo empreendimento sem as novas necessidades das famílias. Será mais um imóvel na planta, igual aos que já estão prontos e disponíveis para serem comprados.

BE- Como o senhor avalia o nosso sistema de financiamento imobiliário da caixa vinculado ao IPCA ?

MA- É mais uma oportunidade para aquecer o mercado. Com a inflação sob controle e em um dos patamares mais baixos da história, pode ser um bom negócio fechar contrato com a Caixa agora. Isso ajuda a esgotar os estoques pois se trata de uma boa oportunidade para quem quer comprar já, no Salão do Imóvel que se aproxima, por exemplo.

BE- Como o senhor avalia o mercado de trabalho na construção civil no estado?

MA- Teremos um novo ciclo de demanda em 2020, logo teremos um novo ciclo de contratações. Todavia, nestes ultimo cinco anos, ocorreu um fenômeno importante onde os incorporadores e até construtoras passaram a usar conceitos da economia digital, onde as empresas possuem apenas o núcleo de know-how essencial e todo o resto é contratado sob demanda, no conceito de staff-sob-demanda. Isto significa que mesmo atividades importantes do processo, não estarão mais dentro das construtoras e sim do lado de fora, sendo contratado, com valor agregado alto. Assim, teremos muitas oportunidades e muito trabalho, mas talvez não tantos empregos como no último ciclo. Na base, ou seja, nas obras, teremos muitas oportunidades sim, todavia o setor está se reestruturando nas obras também com muita tecnologia, principalmente em gestão de obras e gestão de desperdícios.

BE- Qual a expectativa para construção civil em 2020?

MA- Ainda não temos nenhuma explosão de demanda clara no horizonte, mas teremos um crescimento como não víamos há pelo menos cinco anos. Os turbinadores desse crescimento são a Taxa Selic muito baixa impulsionando os consumidores e investidores pessoa física a comprar, os fundos imobiliários privados mais eficientes que os bancos tradicionais para o financiamento dos negócios imobiliários junto aos construtores. Empregos com carteira assinada em alta, décimo terceiro de Bolsa Família, reforma da Previdência Federal aprovada, risco país baixo, enfim, todas as variáveis decisivas no ponto certo.

Foto: divulgação