A BARRA E O CARNAVAL: É HORA DE MUDAR – ARMANDO AVENA

A BARRA E O CARNAVAL: É HORA DE MUDAR - ARMANDO AVENA

Umas das paisagens mais belas do mundo é aquela que se descortina quando se chega ao Morro do Cristo  e os olhos percorrem a praia até avistar o Farol da Barra. E, no entanto, ao invés de casas e apartamentos milionários e hotéis cinco estrelas, como se vê em locais assim ao redor do mundo, o que se vê na Avenida Oceânica são construções meio degradadas, restaurantes e pousadas de quinta categoria, agências bancárias e estacionamentos, embora recentemente alguns empreendimentos tenham surgido. E quando se chega ao Porto da Barra, a barra começa a ficar pesada e as sub-habitações se misturam ao tráfico de drogas. Entre outras, duas medidas são urgentes para que a Barra volte a ser um belo e aprazível bairro de Salvador: tirar o carnaval dali imediatamente e implantar um sistema moderno de policiamento.

O carnaval de Salvador tornou-se um mega-carnaval e não faz mais sentido mantê-lo num bairro residencial e turístico como a Barra. É como se o desfile de Escolas de Samba do Rio de Janeiro durasse sete dias e fosse realizado no Leblon. Não tem cabimento, por isso a  mudança de local e as ações para transferir o carnaval para a orla da Boca do Rio já  em 2023 são urgentes . E o melhor é que todos sairão ganhando com isso.

A Barra vai se beneficiar sobremaneira, a começar pelos moradores que deixarão de ter aquele transtorno que muda suas vidas por quase 10 dias. Além disso, a ocupação imobiliária vai se redefinir, pois os proprietários não poderão mais manter os imóveis degradados durante o ano, para ganhar muito alugando-os para os camarotes no carnaval. O comércio vai gradualmente voltar à região e ainda será possível manter um carnaval de pequenos blocos, com o fuzuê e o furdunço que não atrapalham a vida de ninguém.

 A movimentação econômica gerada pelo carnaval não será afetada, afinal  os milhares de turistas que vem à Salvador para o carnaval continuarão vindo não importa onde ele seja; os hotéis continuarão cheios em toda a parte, os blocos seguirão desfilando e os camarotes continuarão com suas mega estruturas ao longo de um circuito, que será  organizado e estruturado para esse tipo de evento. A transferência não afetará em nada o glamour e a grandiosidade do carnaval, pois o novo local é belíssimo e à beira-mar e, convenhamos,  quem vem de outros estados para vestir o abadá do seu bloco  continuará vindo e terá mais espaço para brincar.  O setor informal e os empregos gerados pela festa serão maiores, o comércio e os serviços vão se expandir e surgirão novos bares, restaurantes e hotéis. Além disso, os outros espaços carnavalescos permanecerão, como o Centro Histórico, a própria Barra e o carnaval de bairro, dando todas as opções a baianos e turistas.

É hora de ter coragem de mudar, arregaçar as mangas e fazer o Carnaval 2023 bombar na orla da Boca do Rio.

Publicado no jornal A Tarde em 22/07/2022