ENTREVISTA LUCIANO LOPES – PRESIDENTE DA ABIH-BA

ENTREVISTA LUCIANO LOPES - PRESIDENTE DA ABIH-BA

Por: João Paulo Almeida 

Bahia Econômica – Como o senhor avalia a situação do turismo em 2020?

Luciano Lopes – Eu acredito que o turismo da Bahia passou um ano muito delicado devido a pandemia do coronavírus. Os hotéis de Salvador tiveram uma redução de 56% do faturamento neste ano em relação ao anterior, o que equivale a uma perda de cerca R$ 673 milhões, correspondente aos sete meses do ano com baixo faturamento. A previsão de ocupação para 2020 era de 66,4%, mas com a pandemia o ano fechou em 37,4%, o que representa uma redução 44% no número de turistas esperados. Esses números mostram a grave crise que o setor se encontrou em 2020.

BE- Qual a expectativa para 2021 ?

LL- A expectativa é a melhor possível. Nós temos ainda um cenário de pandemia mas pelo menos temos a esperança de uma vacina em breve. Nós acreditamos que o cenário de 2021 será de alta para o setor com a retomada de atividades e de contratações. Eu acho que já no primeiro semestre o setor vai dá uma resposta positiva. Claro que se o número de pessoas infectadas subir e um novo momento de fechar as portas surgir esse panorama muda completamente. Mas o setor está otimista

Be- Sem as festas do carnaval o setor deve ter prejuízo ?

LL- Nós acreditamos que será um novo cenário. O carnaval representa em média 11% do faturamento na capital para o setor. Sem as festas menos turistas devem vim para capital. Isso deve sim trazer um prejuízo, porém o feriado está mantido, então se você parar para pensar pode se transformar num feriado prolongado no estado e isso deve ajudar. Mas sem o carnaval e sem a certeza de uma vacina, com certeza o setor sai perdendo muito.

BE- Levando essa ideia para o verão, o setor perdeu em média quanto com essa movimentação reduzida pela pandemia?

LL- Salvador continua sendo uma cidade muito atraente para os turistas. Temos belas praias e belas opções de lazer. Em números no feriado do reveillón e do natal a ocupação hoteleira da capital foi de 85% mais ou menos. Um número expressivo. Anos anteriores chegavas a 100%, mas ainda sim é um número alto. E muito bom para o setor. Temos opções de lazer em praia do forte e na linha verde. A ilha então nesse verão teve perdas, mas não foram como se projetava no auge da pandemia

BE- Qual a expectativa de geração de emprego para o setor?

LL- “Nós observamos um movimento ascendente nas contratações do setor do turismo da Bahia em 2021. Acredito que aquelas vagas perdidas na pandemia começaram a ser recolocadas e depois de um processo mais seguro, com vacina e a economia rodando normalmente nós vamos conseguir nos recuperar totalmente e vamos voltar a ter novas vagas para o setor. O semestre de 2021 deve ser de contratações. Claro que se houver uma segunda onda forte essa previsão pode mudar

BE- Qual a expectativa para o Centro de Convenções em 2021

LL- Nós ainda não temos nenhum mega evento marcado, mas com certeza teremos. Eu acredito que a vacina é fundamental para que esses eventos voltem a acontecer no estado. Eu acredito que com vacina no segundo semestre nós vamos ter condições de receber eventos de grande porte. Principalmente na área médica. Mas até o momento vamos torcer pela vacina.

BE- Qual a importância do aeroporto de Salvador para retomada do turismo ?

LL- Nós tivemos um ano muito duro para o aeroporto com muitos voos cancelados e muito tempo fechado. Isso prejudicou muito o setor. Agora com as coisas se normalizando o aeroporto da Bahia reformado será de vital importância para o turismo do estado. Ele é o portão de entrada da nossa cidade e isso vai fazer o turismo ser mais atrativo para a Bahia.

Foto: divulgação