domingo, 14 de julho de 2024
Euro 5.9574 Dólar 5.4654

ENTREVISTA COM DANIEL COSTA GERENTE DA SERASA

Redação - 15/08/2022 07:00 - Atualizado 15/08/2022

Por: João Paulo Almeida

Bahia econômica – Qual a avaliação que o senhor faz da ação inédita da Serasa de oferecer negociação de dívidas com parcelamento sem juros na Bahia?

Daniel Costa – Em função do cenário econômico e o aumento da inadimplência das famílias brasileiras, a Serasa se juntou a 45 outras empresas de diversos setores para buscar soluções para auxiliar o consumidor a renegociar suas dívidas. Por meio dessa parceria, o Serasa Limpa Nome irá disponibilizar mais de 80 milhões de débitos para renegociação em até 36 vezes sem juros.

A ação surgiu depois de a Serasa realizar uma pesquisa com 2.645 endividados de todo o país. O levantamento mostrou que descontos e parcelamentos sem juros são os maiores motivadores para o consumidor quitar suas dívidas. Nesse cenário, trata-se de uma ação inédita, encontrada pelas empresas envolvidas para conter a alta da inadimplência.

Bahia Econômica – Quais dicas o Serasa tem para o consumidor não precisar se endividar ?

Daniel Costa –

  1. Fique atento às datas de vencimento de suas contas para manter os pagamentos em dia. Assim, você garante que o seu nome não fique negativado e pode aumentar as chances de garantir melhores condições crédito no mercado e de parcelamento, para realizar seus sonhos.
  2. Aproveite o recebimento de renda extra, como o 13º e o saque emergencial do FGTS para quitar suas dívidas.
  3. Fique atento e monitore sempre o status do seu CPF. Caso encontre alguma pendência, ao consultar pelo site da Serasa, você pode conferir as ofertas disponíveis na plataforma Serasa Limpa Nome para quitar suas dívidas com descontos especiais.
  4. Anote todos os seus gastos para que possa ter uma visão geral de seu próprio orçamento. Essa organização é fundamental para planejar suas contas e tirar os sonhos do papel. Uma dica é utilizar a regra 50/30/20 para dividir suas dívidas: 50% para gastos essenciais (como aluguel, comida, contas básicas), 30% para gastos variáveis (cartão de crédito, lazer, etc) e 20% para reserva de emergência.
  5. Aprenda a dizer não para você mesmo, em momentos delicados, e para aquele familiar ou amigo que sempre pede para usar o seu crédito ou seu nome para fazer compras.

Bahia Econômica – Quais os impactos que a pandemia trouxe em relação as dividas dos consumidores baianos

Daniel Costa – A pandemia teve impacto nas finanças de todos os brasileiros. Em pesquisa sobre a pandemia de Covid-19 e seus impactos financeiros, realizada pela Serasa em abril, foi possível constatar que a renda diminuiu para um terço da população brasileira entrevistada (34%). E 41% dos consultados afirmaram não ter tido alteração na renda. Entre os que registraram aumento de renda no período, percebe-se um crescimento de oito pontos percentuais: eram 17% em 2021 e, agora, são 25%. Cresceu também o número de pessoas que afirmaram ter sentido aumento nas despesas: de 50% (2021) para 63% (2022).

Dados sobre o Nordeste: Antes da pandemia, 55% dos brasileiros possuíam alguma reserva financeira, atualmente 44% dos nordestinos contam com esse tipo de reserva. Não houve grande modificação no comportamento do brasileiro em relação à reserva financeira, ao comparar o geral com a região Nordeste (passou de 48% para 44%), mostrando que a reserva continua sendo necessária para cobrir o pagamento de contas durante a pandemia.

Com a pandemia completando dois anos, é difícil que as pessoas não sejam impactadas emocionalmente. O estudo observou que 65% dos nordestinos apresentaram alterações no comportamento por estarem com problemas de concentração no momento de realizar as tarefas diárias. A pesquisa também mostrou que 66% dos entrevistados, sofrem de ansiedade por preocupações com a vida financeira.

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.