PRIVATIZAÇÃO DO PROJETO BAIXIO DE IRECÊ VAI GERAR GRANDE POLO DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA NA BAHIA

PRIVATIZAÇÃO DO PROJETO BAIXIO DE IRECÊ VAI GERAR GRANDE POLO DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA NA BAHIA

Por Thiago Conceição

Em entrevista ao Bahia Econômica, o ex-senador e ex-secretário do Planejamento, Waldeck Ornélas, diz que observa com otimismo o leilão de concessão das etapas 3 a 9 do Projeto Público de Irrigação Baixio de Irecê, vencido nessa quarta-feira (1º) pelo fundo BRL T 210 FIP Multiestratégia Investimento no Exterior (veja aqui). Para Ornélas, que é o autor da emenda que incluiu os perímetros de irrigação na Lei de Concessões (de iniciativa do Poder Executivo), esse é um passo importante para o avanço econômico da região do Médio São Francisco. A perspectiva é baseada na possibilidade de criação de um grande polo baiano de produção agrícola.

“Vejo o resultado do leilão com muito entusiasmo, em especial pelo fato de ser o primeiro projeto de perímetro licitado, desde uma lei de 1995. Como senador, fui autor da emenda que incluiu os perímetros de irrigação na Lei. Quando a gente atrai o setor privado para o modelo, existe a possibilidade de maior eficiência econômica e um resultado mais expressivo na produção”, afirma Ornélas.

O ex-senador acrescenta que o processo de licitação do Baixio de Irecê era para ter acontecido há anos, mas a resistência política com o tema da privatização acarretou na demora para a conclusão do certame, que é o primeiro da modalidade de um projeto público de irrigação no país.

“Cerca de 20 anos depois, período que pode ser comparado com o de uma geração, o leilão aconteceu. Infelizmente, a iniciativa foi atropelada pelos projetos de transposição do rio São Francisco. Isso contribuiu para retardar o desenvolvimento econômico do Médio São Francisco”, explica Ornélas.

Agora, com o leilão concluído, o ex-secretário do Planejamento prevê que o projeto vai permitir o surgimento de um grande polo de produção agrícola e criatório na região, possibilitando ainda a reativação da hidrovia do São Francisco e o avanço de planos do governo como o da BR dos Rios.

De acordo com o governo federal, a concessão, de 35 anos, deverá beneficiar cerca de 250 mil pessoas. O potencial é de geração de 180 mil empregos diretos e indiretos. Os investimentos deverão ser de R$ 1,1 bilhão durante a vigência do contrato com a concessionária, que ficará responsável pela implantação, operação e manutenção da infraestrutura de irrigação.

Foto: Divulgação