COELBA MANTÉM CUSTOS ALTOS, NÃO TEM PLANEJAMENTO E É EMPECILHO PARA NOVOS INVESTIMENTOS, AFIRMAM OS USUÁRIOS

COELBA MANTÉM CUSTOS ALTOS, NÃO TEM PLANEJAMENTO E É EMPECILHO PARA NOVOS INVESTIMENTOS, AFIRMAM OS USUÁRIOS

A criação e instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa para investigar o desempenho da Coelba concessionária de energia elétrica da Bahia, empresa do grupo Neoenergia, assinada por parlamentares de diversos partidos é a reação política a uma queixa generalizada contra a empresa tanto entre consumidores residenciais quanto empresariais. Apesar dos grandes lucros da empresa,  que registrou um lucro líquido de R$10 bilhões  no último quadrimestre, mas os serviços prestados deixam a desejar e as criticas quanto a tarifas elevadas, a pouca transparência da composição tarifária e os absurdos relacionados com prazos e custos nas solicitações de ligação são constantes.

O portal Bahia Econômica ouviu alguns empresários ligados ao segmento de grandes consumidores e as queixas referem-se como principal problema  a falta de planejamento  na expansão do sistema, que vem prejudicando os investimentos no estado. Além disso, os grandes consumidores afirmam que são gravados com  prazos muito longos e custos absurdos, a exemplo daqueles relacionados com as religações e o próprio fornecimento de energia.

Afirmam também que a Coelba não tem um serviço de apoio e informação e que não existe um canal de comunicação qualificado. Muitas empresas estão deixando  a Coelba e entrando para o mercado livre de energia onde o custo é muito menor. E em várias regiões do Estado há investidores que afirmam que os serviços da concessionária estáo sendo um empecilho para a agilidade dos novos investimentos.