JOAQUIM NERY – DIRETOR SÓCIO DA CENTRAL DO CARNAVAL

JOAQUIM NERY - DIRETOR SÓCIO DA CENTRAL DO CARNAVAL

Por: João Paulo Almeida 

Bahia Econômica – O prefeito anunciou recentemente a realização de um evento teste do carnaval no próximo mês. Como senhor analisa?

Joaquim Nery – Eu vejo com bons olhos essa questão. O setor de eventos foi um dos mais atingidos pela pandemia do coronavirus e agora nós estamos iniciando essa retomada com muita organização e planejamento. Não queremos atingir a saúde pública, mas sabemos que o entretenimento na Bahia movimenta muitos públicos e mexe a economia da cidade. O evento teste que deve ser realizado em agosto vai deixar um molde do que será possível se fazer na cidade e do que pode acontecer no segundo semestre.

Bahia Econômica – Alguns artistas já anunciaram e venderam blocos do carnaval de 2022. O senhor acredita que teremos carnaval sem restrições em 2022?

Joaquim Nery – Sim. Com certeza teremos 100% da população imunizada no carnaval e teremos um carnaval sem restrições. Tudo isso que estamos vivendo vai fazer parte do passado e teremos um carnaval muito animado em Salvador. O setor precisa disso. Com avanço da vacinação e os protocolos sendo cumpridos, o carnaval está garantido em todo Brasil e não só em Salvador.

Bahia Econômica – Com a economia do setor de eventos enfraquecida sentindo os efeitos da pandemia as próximas festas podem ter uma redução de investimentos?

Joaquim Nery- A prefeitura tem um setor forte de marketing que sempre cuidou muito bem dessa parte. Eu acho que temos que esperar um pouco para saber como vai ficar esse processo de venda do produto carnaval em Salvador. Eu acho que não teremos problemas e será uma grande festa para todos. Mas vamos esperar um pouco para saber. A economia vai se recuperar e vai ocorrer tudo bem

Bahia Econômica – Como o senhor avalia esse processo de retomada do setor com o avanço da vacinação?    

Joaquim Nery- Como eu expliquei eu vejo o setor em ascensão com o avanço da vacinação na cidade. Não acredito mais que teremos um verão sem festas na capital. Vamos está preparado para receber os turistas com muitas festas e animação

Bahia Econômica – Qual o tamanho do prejuízo financeiro que a ausência do carnaval trouxe para o setor nesses dois anos sem a festa?

Joaquim Nery- Esse número ainda não é preciso. Vamos imaginar na casa dos dois bilhões de média que é quanto ele vinha movimentando no contexto macro nos últimos anos. Mas precisamente não dá para se saber o quanto foi a perda.

Foto: divulgação