ENTREVISTA COM MARCELO RIBEIRO, GERENTE DE BRAND MKT E COMUNICAÇÃO DO OLIST

ENTREVISTA COM MARCELO RIBEIRO, GERENTE DE BRAND MKT E COMUNICAÇÃO DO OLIST

Por: João Paulo Almeida 

Bahia Econômica – Qual a expectativa para a as vendas de final de ano e a black friday nesse momento de pandemia?

Marcelo Ribeiro – A expectativa é a melhor possível, principalmente devido ao aumento tanto de lojistas quanto de consumidores. No total do e-commerce, foram mais de 100 mil novas lojas no 1° semestre e mais de 5 milhões de novos consumidores. O brasileiro que não comprava na internet, nessa pandemia, passou a experimentar as compras online e quem já estava acostumado a comprar passou a usar ainda mais o comércio eletrônico como opção para continuar a consumir no período da quarentena. Acreditamos que na Black Friday muita gente que teve boas experiências nesses últimos meses vá comprar produtos na data em novembro.

BE- Como os lojistas devem se preparar para o momento? 

MR- Como o volume de vendas deve ser alto, recomendamos que antecipem a operação em todos os aspectos possíveis: estoque, logística, expedição e afins para evitar problemas. Tenham estoque reforçado para os produtos que costumam vender bem tanto na Black Friday quanto no resto do ano. Além disso, comprar bem agora pode ajudar a ter mais margem mesmo aplicando os descontos tradicionais da data.

Pensando que a data é conhecida pelos descontos e que o e-commerce cresceu exponencialmente, a BF 2020 com certeza terá resultados gigantescos em volume de pedidos, daí a importância de deixar a operação redonda. No blog do olist tem vários materiais sobre preparação, inclusive lançamos recentemente um check list de preparação para a black friday, que irá orientar os lojistas.

BE – Como o consumidor pode se prevenir para não cair em golpes no evento?

MR – Se for comprar de marketplaces, comprar de lojistas bem avaliados é o melhor caminho. Lojistas com poucas ou nenhuma reclamação é um indicativo de que sua compra será realizada com sucesso.

E se for em loja virtual, verificar sempre se o site tem o selo de segurança SSL, que atesta a segurança da loja virtual, e ficar de olho no checkout: o ideal é evitar páginas de pagamento que leve o consumidor para outro ambiente, pois pode ser fraude.

BE – Como você avalia o atual momento do e-commerce no Brasil?

MR – Em um ótimo momento. A pandemia fez com que o mercado aquecesse e o consumidor avançasse em direção ao hábito de comprar online. Além disso, muitas lojas se viram obrigadas a digitalizar seus estoques e sua operação, logo, trazendo mais produtos e competitividade ao mercado.

Foto: divulgação