JOSÉ MACIEL- AGROPECUÁRIA E REDE 5G: UMA INTRODUÇÃO

JOSÉ MACIEL- AGROPECUÁRIA E REDE 5G: UMA INTRODUÇÃO
Há algum tempo atrás, elaboramos alguns artigos abordando aspectos , princípios e aplicações da chamada agricultura de precisão , uso de  drones e outras  ferramentas que procuram racionalizar o uso de insumos, acompanhamento de lavouras e criações e serviços oficiais de vigilância sanitária, dentre outras atividades e tarefas  na agropecuária. Vimos , por exemplo que na agricultura atual, o emprego de fertilizantes e defensivos se faz habitualmente de forma homogênea em toda a área de cultivo. Na agricultura de precisão , existem dispositivos que permitem identificar  manchas e talhões que que requerem o uso destes e outros insumos, e manchas que dispensam o uso de tais insumos, de modo que os agropecuaristas só os aplicam nas áreas realmente necessitadas, o que  reduz consideravelmente os custos de produção. Do mesmo mundo , um drone sobrevoando uma plantação de eucalipto, por exemplo, permite identificar as falhas nas linhas , possibilitando o replantio somente nos pontos falhos.
Na vigência da Rede 5G mais adiante, essas e outros instrumentos de uso na gestão da propriedade rural melhorarão sensivelmente , em termos sobretudo de tempo de transmissão de dados  e tempos de resposta, possibilitando maior rapidez no processo de tomada de decisão , inclusive na gestão à distância.
Nesse  artigo, procuraremos enumerar sucintamente algumas dessas vantagens da Rede 5G. Para compensar nossa pouca familiaridade com termos e conceitos inerentes ao tema, recorremos a um trabalho de Roberto Okumura , engenheiro agrônomo formado na ESALQ-USP, acerca dos impactos do 5G na agricultura.
A conexão da agricultura à internet é  ainda muito incipiente, chegando talvez a 30% ou menos dos estabelecimentos rurais, e com a característica de baixa velocidade transmissão de dados. Nesse contexto, a Rede 5G, conhecida como a nova geração de rede de internet móvel, com operações iniciadas  em cerca de 34 países, irá mudar radicalmente todo este panorama, o que tem gerado muita expectativa nas mais diversas  áreas da economia. No setor agropecuário não é diferente, posto que diversos serviços  tecnológicos  que já estão sendo implantados no campo podem se beneficiar mais ainda com a velocidade e tempo de latência das redes 5G, aumentados em até 20 vezes mais em relação à velocidade do 4G.
Tudo isso, porém, tem custo, já que as redes 5G requerem um número de torres de celular muito maior que as requeridas nas gerações anteriores de redes, mas, ressalte-se que cada antena 5G permite a conexão de uma quantidade bem maior de aparelhos, possibilitando conectar um número muito grande de equipamentos à rede simultaneamente.
Na vigência do 5G, robôs e mecanismos automatizados que transmitem dados poderão ser desenvolvidos e implantados no trabalho agrícola, capturando e enviando imagens que permitirão verificar o status das plantações em tempo real, possibilitando, por exemplo, identificar e definir qual o trato cultural ou sanitário precisa ser imediatamente executado nas lavouras. O uso  de grande quantidade de sensores conectados através da rede 5G viabilizará o monitoramento das mais diversas condições de campo e detecção   com antecedência das necessidades de irrigação, aplicação de defensivos e fertilizantes. Essas possibilidades de monitoramento também poderão  obviamente se estender à pecuária e criação de outros animais, gerando informações valiosas e instantâneas para os pecuaristas,  inclusive a possibilidade de acompanhamento de tratamentos com veterinários, agrônomos e outros profissionais em vários aspectos , a exemplo da alimentação dos animais.
Outra possibilidade é o emprego de máquinas autônomas  que poderão ter tratores em condições de operar sem a necessidade da ação humana, podendo detectar  a existência de ervas daninhas  e definir qual o herbicida a ser aplicado.
Várias atividades poderão se tornar corriqueiras com a chegada da Rede 5G, como ensino à distância; Dia  de campo virtual para apresentação e difusão de tecnologias ; teleconsultas de agropecuaristas com agrônomos , veterinários, pesquisadores , extensionistas  e técnicos agrícolas ;acesso a bibliotecas virtuais ;  informações sobre climas, mercados , legislação e outras; congressos, conferências e intercâmbio  de experiências entre agropecuaristas em ambiente virtual; facilidades e rapidez nos serviços oficiais de inspeção e vigilância zoofitossantária em portos, aeroportos, e postos de fronteira entre Estados e países; e outras.
Tudo isso ainda deve demorar a chegar ao campo  com a velocidade e características aqui referidas , porque o leilão da 5G só deve acontecer em 2021 e as operadoras  deverão implantar a infraestrutura inicialmente em áreas de grande densidade populacional.
(1) Consultor Legislativo e doutor em Economia pela USP . E-mail:  jose.macielsantos@hotmail.com