ENTREVISTA – ROBERTO DURAN- SALVADOR DESTINATION

ENTREVISTA - ROBERTO DURAN- SALVADOR DESTINATION

Por: João Paulo Almeida 

Bahia Econômica – Qual a importância do novo centro de convenções para o turismo da Bahia?

Roberto Duran – Desde quando o antigo Centro de convenções deixou de funcionar que o turismo da Bahia iniciou um processo grande perdas. Quando a prefeitura anunciou o novo equipamento e ocorreu a assinatura dos contratos nós da Salvador Destination mudamos completamente nosso planejamento e começamos a capitalizar eventos de todos os portes para o equipamento. O Centro é uma peça fundamental para o turismo da Bahia, principalmente na área de negócios. Com ele nós conseguimos apresentar um produto moderno e atrativo para as empresas que tendem a vim para cá com seus eventos.

BE- Quantos eventos já temos captados para o Centro de Convenções

RD- Nós da Salvador Destination conseguimos ao longo desse ano de construção do Centro de Convenções capitalizar 51 congressos. Alguns de grande porte e outros de médio porte e outros de pequeno porte. Entregamos todos para a empresa que vai gerir o equipamento que é a G.L Events. Tenho informações seguras que elas já conseguiram contratar 32 desse congresso. Ao longo de 2020 o Centro ainda vai está em processo de apresentação e não deve acontecer muitos congressos principalmente no primeiro semestre. Temos um grande logo para Maio agora e depois de agosto amis quatro. A partir de 2021 temos mais congressos agendados e o equipamento deve de fato ajudar o turismo de negócios da Bahia.

BE- Qual a expectativa de movimentação financeira para o centro de convenções?

RD- Em termos de números. Nós temos um dado que é o seguinte. Desde a paralisação do antigo Centro de Convenções existiam nove congressos agendados para a capital. Então o prejuízo ao longo desses anos, com a saída desses congressos, além de outros que viriam, foi de um bilhão e meio, aproximadamente. Nós então com esse novo equipamento começamos a buscar esses congressos outra vez. Para 2020 nós estamos prevendo uma movimentação extra de R$ 500 milhões em toda cadeia que envolve o Centro de Convenções. Turismo bares e restaurantes, hotelaria, dentre outros. Claro que esse número não é preciso, mas deve rodar esse mercado.

BE- Em termos de geração de empregos qual a sua expectativa com a chegada do novo centro?

RD- Com a saída de circulação do antigo centro nós perdemos mais de três mil bares e restaurantes que fecharam na capital. Então esse processo de retomada é lento e não vai ser da noite para o dia que ele vai voltar a sua normalidade. Com o tempo com certeza novas empresas vão está ligadas a essa cadeia de turismo de negócios que o Centro de Convenções traz e vão se normalizar. Para os eventos que vão acontecer no equipamento, o que eu posso dizer é cerca de dois mil novos empregos temporários vão ser gerados durante os eventos. São aqueles empregos que estarão ligados aquela semana que o evento estará acontecendo.

Foto: divulgação