OS ANJOS E OS DIABOS EM 2020

OS ANJOS E OS DIABOS EM 2020

Embora ciente dos perigos que envolve os ritos da adivinhação, invoquei os bruxos para assim descortinar o futuro da economia brasileira em 2020. De repente, dois pequenos seres materializaram-se, um com tridente, chifres e rabo, outro munido de auréola e asas, e ambos puseram-se a falar. O ser angelical apressou-se em dizer que 2020 será o ano de ouro da economia brasileira e fundou seu otimismo na baixa taxa de juros, na inflação sob controle, na redução do déficit fiscal, na reforma da previdência e seus desdobramentos nos estados, no risco país que está em queda livre e nas reformas tributária e administrativa que estão em gestação. Esta confluência de fatores positivos fará a economia crescer no mínimo 2,5% em 2020, podendo chegar a 3% se Deus ajudar e o presidente não atrapalahar, vaticinou o anjinho de cabelos loiros e encaracolados.

 De imediato, uma voz estridente e quente rebateu o anjo. E disse que esse otimismo todo não estava levando em conta um cenário externo de baixo crescimento, com a crise comercial não resolvida entre China e EUA e com a Argentina, grande parceiro comercial do Brasil, mergulhada numa crise interminável. Lembrou que a alta cotação do dólar, embora fosse bom para as exportações, denunciava a ausência de capital estrangeiro entrando no Brasil, inclusive para investimento.  Além disso, embora estivesse mostrando alguma recuperação, o investimento privado, que é a mola-mestra do crescimento, permanecia baixo, inviabilizando um maior incremento do PIB.

 – Ora, ora, retrucou o anjo, o investimento não está crescendo mais por que ainda existe capacidade ociosa na economia e quanto ao mercado externo, não há problema, pois o crescimento vai se dar pela força do mercado interno.  Foi então que o diabinho lembrou que ainda havia 12 milhões de desempregados no país e que isso impede um crescimento maior baseado no mercado interno. O anjo, visivelmente aborrecido, partiu para ignorância, chamou o diabinho de viúva da esquerda, disse que ele era  uma dessas cassandras que só preveem o caos e que seu objetivo era político e que estava se lixando para o crescimento econômico. Foi então que o pequeno diabo partiu para o campo político e retrucou: –  Pois é, se o Presidente da República continuar atacando parceiros comerciais, brigando todo dia com jornalistas e ambientalistas e criando uma crise toda a semana, dificilmente haverá clima para a ampliação do investimento. E lembrou  que as eleições municipais também poderiam atrapalhar o crescimento econômico e tornar incontrolável os rompantes de Bolsonaro.

O anjo não se não se abalou com a veemência do diabinho e vaticinou: – Tudo bem, suas preocupações fazem algum sentido, mas o Brasil está pronto para crescer e farto da fracassomania.  Foi então que, deus de suas aparições, o economista fez desaparecer os pequenos seres, desejou um próspero Ano Novo aos seus leitores e fez sua previsão: em economia sempre há condicionantes e a luta política é o maior deles, mas o Brasil está pronto para crescer e somente uma guinada total na atual política econômica será capaz de impedir isso.

                                               A BAHIA EM 2020

Tudo indica que 2020 também será um ano bom para Bahia. A construção civil deslanchou e, em 2020, o setor foi responsável por 40% do saldo de empregos gerados com carteira assinada na Bahia. As várias obras públicas do governo do Estado e da Prefeitura de Salvador também dinamizam a economia e geram emprego. O turismo já está bombando e o comércio registra nítida recuperação. A agropecuária deve continuar batendo recordes, pois este ano, ao que parece, não haverá quebra de safra. Mas indústria baiana vai destoar do conjunto, pois deve se manter instável em 2020, por conta das indefinições no setor de petróleo. No mais, torcer para que 2020 seja um anos de paz.