COLUNA ARMANDO AVENA

JORNAL A TARDE - ARMANDO AVENA: É HORA DE PLANEJAR O DISTANCIAMENTO CONTROLADO

Quando todos estão preocupados com o presente, o sistema de planejamento deve estar pensando no futuro. Esta é máxima que rege a gestão pública e, se é verdade que o governo do estado e a prefeitura de Salvador estão enfrentando de forma competente e coordenada a pandemia em nosso estado, é verdade também que seus sistemas de planejamento estão deixando a desejar. A essa altura, quando a pandemia está se

DIA DA INDÚSTRIA: ARMANDO AVENA: OS EFEITOS DA COVID-19 E O FUTURO DA INDÚSTRIA NA BAHIA

No dia da Indústria é imperativo avaliar o presente e pensar o futuro. O presente, neste fatídico ano de 2020, tem a cara do Covid-19, o vírus que impactou negativamente a economia da Bahia e do mundo. O isolamento social, única terapia conhecida e comprovada para minimizar os efeitos do vírus, afetou diretamente todos os setores, mas isso se deu de forma diferenciada, pois, enquanto alguns segmentos reduziram a zero

COLUNA NO JORNAL A TARDE: ARMANDO AVENA - UM PLANO PARA REABRIR A ECONOMIA

A Bahia está na fase 1 da pandemia, na qual o objetivo principal é sobreviver.  Até o final desta semana, o sistema de saúde de Salvador vai entrar em colapso – a demanda vai ser maior que a oferta de leitos – e isso vai gerar um aumento significativo no número de mortos. Isso não significa que a cidade terá chegado ao pico da curva de casos do Covid-19, mas

ARMANDO AVENA: UMA PANDEMIA NAS FINANÇAS PESSOAIS

Uma pandemia atingiu em cheio as finanças pessoais dos brasileiros. Milhares de pessoas foram infectadas pelo vírus do desemprego e da inatividade econômica e, aqueles que tinham algum dinheiro no mercado financeiro, foram contaminadas pelo vírus do juro baixo. O Banco Central cortou a taxa Selic para 3% ao ano pensando em estimular a economia, num movimento clássico em momentos de recessão. Mas em tempos de pandemia seu efeito é

JORNAL A TARDE - ARMANDO AVENA : APÓS A PANDEMIA... O MUNDO VAI CONTINUAR O MESMO

São muitas as previsões de como será o mundo e a economia após a pandemia. O fim do processo de globalização, o retorno aos valores locais, a redução no comércio exterior e até o aparecimento de um “novo homem” estão sendo vaticinados. Infelizmente, ou felizmente, nada disso vai acontecer e após a pandemia o mundo … vai continuar mais ou menos o mesmo. Pandemias e guerras podem mudar as relações

ARMANDO AVENA: SALVADOR E A FLEXIBILIZAÇÃO DO ISOLAMENTO

A taxa de crescimento do número de casos de Covid-19 em Salvador está mais elevada que a média nacional e, mantida nesse patamar, ao final de maio a demanda por leitos de UTI será maior que o estoque disponível. Isso significa que o isolamento, bem como o uso de máscaras, permanece sendo fundamental, para evitar a ampliação do número de mortes. Portanto, o Prefeito ACM Neto agiu corretamente ao não

ARMANDO AVENA - NAPOLEÃO E A COVID-19

Publicado no jornal A Tarde Quando as tropas de Napoleão invadiram a Rússia em 1812, Napoleão Bonaparte  comandava o invencível exército da França e desafiava os impetuosos russos para a luta. Mas lutar sem armas contra um inimigo muito mais poderoso seria apenas uma bravata que resultaria em milhões mortos. Por isso, o comandante russo, Marechal Kutuzov, usou a única arma disponível: a racionalidade. E montou uma estratégia: “recuar sem

O DIÁRIO DA PESTE - ARMANDO AVENA

Tempos de pandemia são tempos de quarentena e, em isolamento, só a arte é capaz de matar o tempo. Acho que foi por isso que Pampinéa, após fugir da peste, refugiando-se nas colinas de Florença, propôs as  seis moças e aos três rapazes que a acompanhavam; que passassem o tempo contando histórias e tantas e tão interessantes eram, que após atingirem a centena tornaram-se o Decamerão, de Giovanni Boccaccio.  Quase

JORNAL A TARDE: ARMANDO AVENA - OS BANCOS GANHAM COM A PANDEMIA

Enquanto o setor produtivo da economia brasileira luta para sobreviver à pandemia, 3 bancos privados – Bradesco, Itaú e Santander – agem como se fosse hora de ganhar dinheiro. E, enquanto na propaganda televisiva dizem estar prontos “para cuidar de todos” ou  “superar esse momento”, na vida real aumentam os juros e os spreads e exigem garantias impossíveis de cumprir em tempos de pandemia, emperrando as linhas de créditos que