ARTIGOS

PAULO AMILTON - A PEC 186/2019 E AS PRESSÕES SOBRE ORÇAMENTO

Como todos sabem, o Brasil só começa a funcionar plenamente depois do período anual do reinado de Momo. Até o novo coronavírus sabe disto, pois só aterrissou em terras tupiniquins na quarta-feira de cinzas e depois da saída do bloco “O Bacalhau do Batata” nas ladeiras de Olinda-PE. Então, neste início de março, o ano parlamentar de fato começa, e ele será curto, no máximo terá quatro meses a frente,

SAMUELITA SANTANA- CONGRESSO X EXECUTIVO: ARMAÇÕES IMPOSITIVAS

O grande X das pressões que vaporizam hoje entre o Congresso Nacional e o Executivo é, na verdade, o veto do presidente Jair Bolsonaro ao “jaboti” colocado  na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, obrigando o governo a executar a bagatela de R$ 30 bilhões em emendas impositivas que seriam distribuiídas pelo relator do Orçamento, conforme – é óbvio -, os interesses eleitorais de seus pares. Mas a fumaça quente evaporou-se

ADARY OLIVEIRA - A RETOMADA DE UMA FÁBRICA

O retorno da operação de uma unidade industrial não é tarefa simples. Além do mais é revestida de complicações e contratempos difíceis de se imaginar. Não se trata apenas da recuperação dos empregos perdidos, dos tributos que o estado deixa de arrecadar de uma hora para outra, dos fornecedores de bens e serviços com seus contratos interrompidos inesperadamente, dos bancos ameaçados de não receberem seus créditos, dos clientes que passam

JOSÉ MACIEL - ESTADOS UNIDOS REABREM O MERCADO PARA  CARNE BRASILEIRA

Em 2019, o agronegócio brasileiro registrou exportações, em números redondos , ao redor de 97 bilhões de dólares, valor 4% inferior ao observado em 2018 (101 bilhões de dólares). A principal explicação, além do câmbio, se refere à peste suína na China, que diminuiu a demanda do nosso complexo soja. As exportações do complexo soja caíram de 40,7 bilhões de dólares para 32,6 bilhões de dólares no ano passado. Em

ERIK FIGUEIREDO: DESIGUALDADE DE OPORTUNIDADES E A POLÍTICA EDUCACIONAL

O discurso do ministro da economia Paulo Guedes no Fórum Econômico de Davos ganhou notoriedade pela associação entre crescimento econômico e desigualdade de oportunidades. Para Guedes, um dos grandes entraves para a crescimento da economia reside na massa de pessoas excluídas do mercado devido à desigualdade. E mais, a maior parte da desigualdade no Brasil está ligada à desigualdade de oportunidades, especialmente na área de educação. Para entendermos essa associação,

COLUNA NO JORNAL A TARDE - ARMANDO AVENA: BOLSONARO E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA

O carnaval acabou e o governo precisa explicar por que a economia brasileira está travada. Os números mostram que em 2019, no primeiro ano do governo Bolsonaro, o país continuou registrando um crescimento pífio e nos indicadores de 2020 não se detecta a aceleração desse crescimento. Mas por que a economia não deslancha se a taxa de juros é a mais baixa da história, a inflação está sob controle, a

BERNARDO DE MENEZES: CORONAVÍRUS PREJUDICA TAMBÉM O TURISMO

Como outros segmentos da economia global, o turismo acaba perdendo, e muito, com a epidemia do coronavírus. O primeiro alerta da doença foi emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 31 de dezembro passado, praticamente um mês após o Ministério do Turismo (MTur) divulgar uma chamada pública para o credenciamento de agências de viagens brasileiras interessadas em recepcionar turistas chineses no país. Realmente era muito difícil naquela oportunidade alguém

COLUNA NO JORNAL A TARDE: ARMANDO AVENA - O CARNAVAL EM CADA CANTO DA CIDADE

Veneza que me perdoe, mas quem inventou o carnaval foi a Bahia. E pelo menos no quesito criatividade, nunca houve tanta como no carnaval de Salvador. Desde que a fobica do primeiro trio-elétrico foi as ruas, nosso carnaval está se reinventando e encantando o Brasil.  Já houve o tempo das caretas, dos desfiles dos blocos orientais, dos Filhos de Ghandi, que ainda hoje cobre de branco a avenida, dos Mercadores de

WILSON F. MENEZES - ECONOMIA E POLÍTICA: O MERCADO DE TRABALHO UM ANO DEPOIS

Uma desvalorização do Real face ao dólar torna os produtos brasileiros relativamente mais baratos para o resto do mundo. Significa dizer que uma desvalorização cambial provoca um incentivo às nossas exportações. Isso é muito bom, notadamente quando se sabe que a economia brasileira vem padecendo, nos últimos anos, de fraco crescimento ou mesmo crescimento negativo de seu PIB. Para tanto, tem-se toda nossa produção de commodities e uma elevada capacidade

SAMUELITA SANTANA - BRASIS: A DIVERSIDADE QUE NOS JUNTA E NOS SEPARA

Em Santa Catarina passando uma temporada por conta de projetos pessoais – região do Brasil que ainda não havia tido a oportunidade e o prazer de conhecer -, pude ampliar ainda mais a visão sobre a diversidade que esse país abriga. Esse Brasil de tantas raízes, de tantas misturas, de tantos resultados miscigenados que vão além daquela primeira matriz configurada pelo antropólogo Darcy Ribeiro – índio, europeu, africano – não