sexta, 19 de julho de 2024
Euro 6.098 Dólar 5.6089

ENTREVISTA COM DAYVID BACELAR DIRETOR DA FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS (FUP)

João Paulo - 17/06/2024 05:00

Bahia Econômica – Sobre o tema transição energética, como está a visão dos petroleiros do Brasil nesse assunto a nível nacional?

Deyvid Bacelar- Felizmente a FUP, ela tem se antecipado com relação a esse debate. Nós, que somos petroleiros, entendemos a necessidade da utilização dessa riqueza que é gerada pelo petróleo justamente para nós fazermos a transição energética de uma forma justa. E a transição energética para ser justa significa que os trabalhadores e trabalhadoras também precisam ser envolvidos nesse debate. Então, o que pautamos é a presença daqueles que fazem o processo, além das comunidades envolvidas, no debate das energias renováveis. Então, o que a FUP está fazendo é isso. Se antecipar para discutir esse tema junto aos trabalhadores e trabalhadoras e também as grandes indústrias que já estão instaladas hoje no Brasil para que nós tenhamos uma potencialidade diferenciada aqui no país em matéria de geração de emprego e renda.

Bahia Econômica – Sobre a matriz energética do Brasil, qual a avaliação da FUP hoje?

Deyvid Bacelar – Então nós temos um diferencial aqui no Brasil justamente porque temos uma matriz energética limpa. Hoje 25% da matriz energética brasileira têm gases sendo lançados por conta das indústrias do setor energético. 75% estão referentes ao uso da terra, ao desmatamento, às queimadas, então significa que o país já tem sim uma potencialidade diferente com relação a outros países do mundo. Os países já desgastaram suas florestas, já destruíram suas matas, lançaram muito mais gás de efeito estufa do que nós. Então, aproveitando a potencialidade do nosso país, que tem várias fontes de energia renovável,  energia eólica, energia solar, nós podemos fazer essa transição inclusive produzindo hidrogênio verde, produzindo também combustíveis verdes e quem sabe aqui na Bahia, com uma refinaria verde.

Bahia Econômica – As indústrias da Bahia já estão com esse pensamento de capacitação de trabalhadores para atuar nesse cenário? Você está vendo esse processo em andamento, em construção, precisando agir? Como é que você está vendo esse processo?

Deyvid Bacelar – Felizmente em andamento. O presidente FIEB Carlos Henrique já sinalizou que o Senai Cimatec já tem cursos, justamente preparando os jovens, ou seja, a classe trabalhadora, para terem competências, habilidades para essa indústria verde. Não somente o Senai, o próprio IFBA, o IFBAiano, também já debate cursos específicos para a transição energética. Então, temos já isso em andamento, entendemos que precisa melhorar, obviamente, aproveitando esse potencial que o país tem, que a Bahia tem, de grandes instituições de ensino, ensino técnico e profissionalizante, para que isso avance ainda mais. Já existem, por exemplo, as companhias de aviação, elas já demandam, em vez do QAV, o querosene de aviação, o SAF, que é um querosene verde.

Bahia Econômica – Como é que está a participação da Petrobras nesse negócio de energia verde?

Deyvid Bacelar – Felizmente, na mudança que tivemos na gestão da empresa, a partir de 2023, nós tivemos uma mudança no planejamento estratégico dela. Conseqüentemente, aqueles investimentos que eram pequenos na área de energias renováveis foram ampliados. No Planejamento Estratégico anterior, nós tínhamos menos de 1% de todo o capex de todos os investimentos da Petrodais direcionados para energias renováveis. Hoje nós estamos entre 10% e 15% do capex para energias renováveis. Então já há uma mudança no Planejamento Estratégico da companhia para que tenhamos mais investimentos voltados à transição energética. Temos um processo de descarbonização das atividades operacionais da companhia. Temos um processo de ampliação das refinarias existentes com o coprocessamento de diesel a partir do uso de oleaginosas. E um grande projeto que está sendo discutido agora, inclusive junto com a Acelen, de quem sabe termos aqui uma primeira biorefinaria onde nós utilizaremos principalmente a Macaúbas e o Dendê. Para gente produzir principalmente diesel 100% verde além disso o tema que está aqui em voga que é de uma refinaria verde onde não tem uma gota de petróleo também mas através de uma outra rota tecnológica fazendo a hidrólise da água quebrando a molécula da água tirando o hidrogênio verde a partir disso produzindo uma série de combustíveis verdes e quem sabe esse é o grande sonho aqui da Bahia termos não somente petrobras mas a todas as empresas.

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.