segunda, 15 de abril de 2024
Euro 5.5077 Dólar 5.1905

BAHIA PEDE AJUDA AO CEARÁ PARA A CRIAÇÃO DE CAMARÃO

João Paulo - 08/02/2024 12:03

Wallison Tum, secretário da (respire!) Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura do Governo da Bahia e, também, deputado federal pelo Avante, produz frutas no Polo Fruticultor de Juazeiro e toda sua produção é exportada para o exterior pelo Porto do Pecém, “que tem uma excelente logística, um ótimo atendimento ao cliente e eu sou, prova disso”, como ele disse.

A Bahia dispõe de três bons portos, mas para a logística dos fruticultores baianos, Pecém “é melhor na relação custo-benefício e na rapidez com que processa as cargas”, disse ele ao seu colega deputado estadual Salmito Filho, secretário do Desenvolvimento Econômico do Governo do Ceará, a quem foi ontem apresentado no estande do Brasil na Fruit Logistica.

Tum – como é conhecido na política e na atividade empresarial da Bahia – é um político e produtor rural bem-humorado. Ele está em Berlim participando da Fruit Logística, maior feira mundial da cadeia produtiva de Frutas, Legumes e Verduras (FLV). Na sua opinião, o cearense “é um ser muito inteligente e por causa disto está em todo lugar do mundo, inclusive na China”.

Ele disse a Salmito Filho que está interessado em desenvolver a carcinicultura na Bahia, elogiou o avanço dos cearenses no setor e desejou saber quem no Ceará pode prestar-lhe consultoria nesse projeto. A resposta veio rápida e de forma unânime:

“Cristiano Maia, o maior criador de camarão do Brasil”, responderam a um só tempo o secretário Salmito Filho; o presidente do Complexo do Pecém, Hugo Figueiredo; o presidente da Adagri, Elmo Aguiar; o secretário Executivo da SDE, Sílvio Carlos Ribeiro; e o coordenador de Recursos Hídricos da SDE, Erildo Pontes.

“Pois vou procurar o Cristiano”, prometeu Wallison. “Alguém pode me passar o contato dele?”, pediu ele. Em menos de 30 segundos, Tum recebeu no seu celular várias mensagens com o número do telefone do dono do Grupo Samaria, que é também dono da Fazenda Potiporã, no vizinho Rio Grande do Norte, e de mais duas no Ceará – uma em Beberibe, outra em Acaraú, no Ceará.

O secretário baiano revelou que há na Bahia um conjunto de 5 mil poços profundos, todos com água salobra, algo de que mais gosta o camarão em todas as suas idades. Como no Ceará o que parecia um limão virou uma boa limonada (mais de 1 mil pequenos carcinicultores no Vale do Jaguaribe criam camarão aproveitando a salinidade da água do subsolo), a Bahia quer seguir o mesmo caminho.

“Quero fazer na Bahia o que vocês estão fazendo no Ceará na criação de camarão. Também quero transformar limão em limonada, pois é por aí que poderemos também mudar para melhor a condição de vida do homem do campo, oferecendo-lhe boas condições para despertar nele o espírito empreendedor”, explicou Wallison Tum.

Mas ele destacou as virtudes da agropecuária baiana, que alcançou níveis excelentes de qualidade na cotonicultura, na sojicultura e na produção de leite bovino, atraindo para lá grandes empresas, sendo uma delas a Alvoar – que nasceu da união da cearense Betânia Lácteos com a mineira Lacticínios Embaré.

Na agropecuária regional nordestina, os baianos são líderes. Na geração de energias renováveis, eles são líderes nacionais – essa liderança já foi ocupada pelo Ceará, que a perdeu por falta de interesse do governo estadual, que o retoma agora. O secretário Salmito Filho disse ao seu colega da Bahia que sua Secretaria e todo o Governo do Ceará estão à sua disposição para a celebração de uma parceria em todas as áreas da atividade agropecuária, incluindo a pesca e a aquicultura.

Hoje, a Bahia é o principal fornecedor de tilápia ao Ceará, que também já foi o primeiro, enquanto manteve cheios os pequenos, médios e grandes açudes, agora com menos de 30% de sua capacidade total de represamento (a tilapicultura cearense mudou-se para o Piauí, onde o rio Parnaíba corre o ano inteiro e a barragem de Boa Esperança está sempre acumulando mais de 50% de sua capacidade, garantindo a exitosa existência de fazendas de criação de tilápia.

Legenda: Secretário da Agricultura da Bahia, Wallison Tum (C), ladeado pelo secretário Silvio Carlos Ribeiro (E) e pelo presidente da Adagri, Elmo Aguiar
Foto: Divulgação

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.