segunda, 15 de abril de 2024
Euro 5.5077 Dólar 5.1905

ENTREVISTA COM THIAGO ANDRADE CEO DA PETROBAHIA

João Paulo - 22/12/2023 10:25 - Atualizado 22/12/2023

Bahia Econômica – Como 4ª distribuidora que mais cresce no Brasil, a 5ª maior do Nordeste e a 4ª em número de postos bandeirados da Bahia, como o senhor avalia o ano 2023 e as expectativas para 2024 neste cenário?

Thiago Andrade  –  O ano de 2023 foi um dos mais importantes na história da Petrobahia. Embora o cenário de alta volatilidade grande instabilidade no cenário geopolítico mundial, a Petrobahia fez o dever de casa. Nossa rápida capacidade de adaptação, permitiu ampliar volume e marketshare, ao mesmo tempo em que ampliamos margem e expandimos geograficamente nossas operações. Para 2024, o cenário de incertezas persiste e o foco vai ser continuar na expansão das operações, no aprimoramento dos processos, e no desenvolvimento das pessoas.

Bahia Econômica – Em qual região do Brasil a Petrobahia pretende crescer mais neste próximo ano?

Thiago Andrade  –  Nordeste, Sudeste e Centro Oeste. A Petrobahia estima crescer mais de 40% em volume e investir em torno de R$100 milhões de reais somente em 2024, em postos contratados, novas bases de combustíveis automotivos no Sudeste e Centro Oeste, em bases de Combustíveis de aviação no Nordeste, em soluções e projetos de inovação, em plantas de compressão, liquefação e regaseificação de gás natural, e em uma planta industrial de etanol de milho na Bahia, além da parceria com o projeto BRAVE, em parceria com SENAI/CIMATEC, USP e Shell, para produção de biocombustíveis oriundos do sisal. Até 2030, acredito que o patamar de investimento da Petrobahia cifra ultrapasse a barreira de R$500 milhões.

Bahia Econômica – Como o senhor avalia o ano de 2023 para a Petrobahia e também para o setor de combustíveis na Bahia e no Brasil?

Thiago Andrade  –  Para os desafios de mercado, regulatório, tributários e de fiscalização, o setor de combustível certamente foi um dos mais impactados. Crescimento da demanda e simplificações tributárias com a chegada do ICMS ad rem e o fim da guerra fiscal entre os estados, são alguns dos fatores que ajudaram o setor a reordenar a dinâmica de investimento voltada a eficiência logística, e não mais por eficiência tributária, que por vezes definiu a politica de investimento das distribuidoras. A instabilidade da política econômica e energética do Brasil reduz previsibilidade e amplia os riscos significativamente. Por outro lado, alta volatilidade potencializa a capacidade de gerar resultados.

Bahia Econômica – Quais os maiores desafios que o senhor terá no comando da Petrobahia em 2024?

Thiago Andrade  –  Destacaria os projetos de inovação associado a melhoria de processos e satisfação de clientes; a agenda comercial de expansão em paralelo a ampliação do volume contratado em postos bandeirados e grandes consumidores; e consolidação de um time de altíssima performance, sem abrir mão da nossa cultura organizacional.

Bahia Econômica – Quais as expectativas para o mercado de combustíveis em 2024 na região Norte e Nordeste?

Thiago Andrade  –  A expectativa para o mercado de combustíveis está ligado primariamente a dois fatores: valor de commodity de petróleo e respectivos derivados, e cambio. Alta volatilidade em ambos os fatores tornam o mercado extremamente desafiador. Fluxo de importação, política de preço Petrobras vs. Preço de Paridade Internacional também são questões críticas que ditam os desafios e oportunidades do mercado.

Bahia Econômica – Como será o primeiro projeto de liquefação de gás natural oriundo de gasoduto no Nordeste, em parceria com a GNlink e Bahia Gás, que tem operação prevista para o terceiro trimestre de 2023?

Thiago Andrade  –  Esse é um verdadeiro projeto de estado, realizado pela Petrobahia e GNLink em parceria com a Bahiagas. Esse projeto vai permitir uma mudança na demanda de matriz energética no interior da Bahia através da oferta de Gás Natural Liquefeito GNL para postos e indústrias via transporte rodoviário. Esse projeto viabiliza a criação dos corredores azuis nos principais eixos rodoviários do país, em especial na região Nordeste. Com investimentos previstos de R$155 milhões, a Petrobahia e GNLink tranformará o papel do município de Itabuna como polo de desenvolvimento para vários municípios da Bahia e Sul de Pernambuco, e norte de Minas Gerais. A Petrobahia e GNLink estão desenvolvendo projetos em outras regiões do Nordeste para criar uma rede integrada de hubs de GNL.

Bahia Econômica – Fale um pouco sobre o combustível marítimo, o Diesel Maré, e o objetivo de transformar a Baía de Todos-os-Santos em um polo de abastecimento de combustíveis marítimos.

Thiago Andrade  – Acreditamos que o potencial da Capital mundial da Amazônia Azul é de tornar a Baia de Todos os Santos (BTS) em um polo importante a nível nacional e internacional de abastecimento de Oleo Diesel Marítimo (ODM) e Bunker. A Petrobahia identificou a oportunidade de atuar na distribuição de ODM para suprir mercados importantes na costa brasileira, e em especial na BTS. O Diesel Maré é o ODM puro, que não possui mistura com o Biodiesel, como no caso dos Diesel S10 e S500. Importante sinalizar que é comum observar embarcações consumindo diesel S10 em função da ausência de oferta de ODM, e por questões de custo. O fato é crítico pois impacta em questões de segurança operacional das embarcações com risco de incêndio.

Bahia Econômica – Como tem sido a receptividade na região de agronegócio e mineração para o produto Diesel Clean Bac?

Thiago Andrade – A receptividade pelo mercado é excelente. Em geral, quem testa, gosta e não quer outra solução. A melhoria nos custos operacionais pelos clientes são percebidos de forma objetiva com redução da troca de elementos filtrantes nos equipamentos de alto valor agregado utilizado nessas indústrias. A Petrobahia está focada em entender as demandas dos clientes e apresentar soluções aderentes a realidade dos mercados consumidor e de revenda de combustíveis.

Bahia Econômica – A Petrobahia conta atualmente com mais de 130 postos bandeirados. A expectativa em 2024 é fechar o ano com quantas unidades bandeiradas?

Thiago Andrade  –  Nossa expectativa é fechar o ano com 250 clientes contratados, entre consumidores e postos bandeirados.

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.