sábado, 22 de junho de 2024
Euro 5.8473 Dólar 5.4623

TÂNIA BACELAR – INCENTIVOS ÀS MONTADORAS OU COMBATE ÀS DESIGUALDADES REGIONAIS

Redação - 20/08/2023 11:06 - Atualizado 24/08/2023

Os incentivos não são às montadoras, mas à promoção de um desenvolvimento nacional menos desigual. O mapa da localização das fábricas do setor automotivo do Brasil fala por si mesmo: apenas uma delas se localizou e continua a existir no Nordeste e duas em Goiás. Haveria vantagens competitivas semelhantes nas diversas regiões brasileiras?

No mundo inteiro os incentivos são instrumento de combate às desigualdades regionais, que no Brasil são históricas e perceptíveis a olho nu.

O estudo feito pela CEPLAN sobre impactos dos incentivos à Stellantis mostra que a realidade econômica e social da Mata Norte de PE mudou significativamente e houve transbordamentos especiais para João Pessoa/PB e para o agreste pernambucano, onde se situa a fábrica de baterias Moura.

Na permanência destes incentivos por mais algum tempo, estaríamos engatando o NE na nova política nacional de reindustrialização, regando, em PE e BA, a semente da indústria automotiva brasileira do século XXI.

Estudos recentes da CEPLAN que consideram os incentivos e os investimentos em infraestrutura (destaque para SUAPE) mostram que, na contramão de tendencia nacional,  Pernambuco se  reindustrializou, diversificou e desconcentrou sua economia nas décadas recentes.

O Nordeste poderia até deixar de defender incentivos fiscais e financeiros se recebesse, nas próximas décadas, um volume de investimentos públicos em infraestrutura econômica e em educação, em padrão semelhante ao que foi destinado ao Sudeste nos séculos XIX e XX.

DESTAQUES de RESULTADOS do ESTUDO feito pela CEPLAN sobre impactos dos investimentos no polo automotivo de Goiana/PE

  1. Impacto em Goiana

 

  • O município de Goiana saltou da 13ª para a 4ª maior economia municipal de PE
  • A indústria em Goiana (tradicional produtora de açúcar) passou de 30% para 54% do PIB municipal
  • O padrão tecnológico da indústria de Goiana foi revolucionado: a relação VTI/PO passou de 3,7% (2014) para 17,5% (2019)
  • A taxa de abandono no ensino médio foi praticamente zerada em Goiana e entorno
  • A Receita Corrente do município cresce 10% a.a desde 2015

 

  1. Impactos econômicos no Entorno e no Estado

 

  • A articulação com a fábrica de baterias MOURA fortaleceu impactos desta no agreste pernambucano (região em torno de Belo Jardim)
  • Sistemistas se instalam fora da área de influência direta ( Ex:
  • A pauta de exportação estadual foi revolucionada: o açúcar perdeu para o setor automotivo a liderança secular, passando para o quinto lugar.
  • O segmento automotivo passou a ocupar o 4º lugar na arrecadação total do ICMS de PE
  • A indústria de alta e média intensidade tecnológica em PE passou de 25% (2013) para 35% (2019) no total da indústria de transformação
  • João Pessoa acelerou seu crescimento ao se tornar residência de parte dos novos ocupados em Goiana (o novo Censo do IBGE mostra que foi a capital do NE que mais cresceu)
  • Em 2022 o polo automotivo respondia por cerca de metade das vagas de trabalho ocupadas em Goiana, preenchidas também por pessoas de mais de dez cidades vizinhas (que representam 50% da força de trabalho da montadora e fabricantes de componentes).

 

  1. Impactos na Inovação (o sistema de incentivos em vigor no NE cobra investimentos em inovação, como se faz em outras partes do mundo)
  • O polo automotivo se liga ao Porto Digital, em especial através do Software Center Stellantis, tendo como foco a inovação aberta
  • Se liga também à base de C,T&I de PE (Universidades e Sistema Estadual de C,T&I) e da Paraíba (UFPB e UFCG).
  • A Stellantis e a MOURA têm Centros próprios de Pesquisa gerando conhecimento novo a partir de PE.

 

Tania Bacelar: Economista, Doutorado na Universidade de Paris I, especialista em desenvolvimento regional , Professora aposentada e Emérita da UFPE, ex Secretaria do Planejamento e da Fazenda de Pernambuco, ex Secretaria de Planejamento e Urbanismo do Recife, ex Secretaria de Politicas de Desenvolvimento Regional do Governo Federal.

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.