A ECONOMIA BAIANA RETOMA O CRESCIMENTO – ARMANDO AVENA

A ECONOMIA BAIANA RETOMA O CRESCIMENTO - ARMANDO AVENA

No 1º trimestre de 2022, a economia baiana cresceu mais que a economia brasileira. O PIB da Bahia cresceu 2,8% no período, enquanto o PIB brasileiro registrou um crescimento de 1,7%. Isso aconteceu por conta do expressivo crescimento do PIB industrial, que cresceu quase 5%, enquanto no Brasil houve queda de 1,5%. Quem está puxando esse crescimento é a Acelen, já que a produção de derivados de petróleo da Refinaria de Mataripe cresceu quase 40% no 1º trimestre de 2022. Aliás, esta coluna previu que a indústria baiana voltaria a crescer, pois antes da privatização a Petrobras, por razões de política interna, produzia bem abaixo de sua capacidade operacional e este segmento representa cerca de 40% da indústria baiana.

PUBLICIDADE

O aumento na produção de energia elétrica também impulsionou a indústria e a construção civil cresceu 3%, um desempenho significativo, embora bem inferior ao crescimento nacional do setor, que foi de 9%. O setor agropecuário também contribuiu e cresceu 1%, enquanto registrava queda de 8% em nível nacional. E, vale lembrar, que a Bahia deve bater este ano novo recorde na produção de grãos, com uma safra de 11,2 milhões de toneladas, um crescimento de 6,2% em relação a 2022. Aliás, a Bahia se consolida cada vez mais como uma economia com forte componente agroindustrial. Esta semana, por exemplo, foi divulgado o PIB do agronegócio que é um conceito mais amplo do que o PIB da agropecuária e envolve não só a produção agrícola e pecuária, mas também a indústria de produtos agro e o transporte e comercialização dos produtos. Pois bem, o PIB do agronegócio baiano, totalizou R$ 22,7 bilhões no primeiro trimestre de 2022, representando 24,3% do PIB estadual.

Essa participação aumentou em relação a 2021, embora tenha recuado 0,7% em relação a esse ano. Assim, a cada real gerado na economia baiana, 1/3 tem origem em atividades associadas ao agronegócio. Cerca de 70% do PIB baiano tem origem no setor de serviços, que cresceu 2,5%, com incremento em todas as atividades, inclusive o comércio, com incremento de 1,5%, enquanto nacionalmente caiu 1,5%. O PIB da Bahia também cresceu 1,3% na comparação do 1º trimestre de 2022, com o 4º trimestre de 2021, o que caracteriza fluxo positivo de crescimento. Os números são da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), mas não desagregam a atividade turística, que é importante para a economia baiana. No entanto, é possível verificar, através da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, que entre janeiro e abril a atividade turística na Bahia registrou um crescimento de 50%. Esses são dados conjunturais que podem se modificar ao longo do ano, mas demonstram que a economia baiana está em processo de crescimento em todas as atividades.