QUEDA DAS VENDAS NO VAREJO FOI PUXADA POR MÓVEIS E ELETRODOMÉSTICOS

QUEDA DAS VENDAS NO VAREJO FOI PUXADA POR MÓVEIS E ELETRODOMÉSTICOS

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em abril, na Bahia, a queda geral das vendas frente ao mesmo mês de 2021 (-4,9%) foi resultado de recuos em 4 das 8 atividades do varejo restrito (que exclui automóveis e material de construção). A maior retração e o maior impacto negativo no resultado do mês vieram do segmento de móveis e eletrodomésticos (-33,1%), que mostrou sua décima queda consecutiva, com forte aceleração frente a março (-10,9%).

As vendas de móveis e eletrodomésticos também apresentam o pior resultado do comércio baiano nos primeiros quatro meses de 2022 (-27,0%). O segundo principal impacto negativo nas vendas em geral do varejo na Bahia, em abril, veio dos outros artigos de uso pessoal e doméstico (-9,3%). O segmento engloba lojas de departamentos, óticas, joalherias, artigos esportivos, brinquedos e tem participação importante dos grandes varejistas on-line.

Além deles, também apresentaram resultados negativos no estado, em abril, as vendas de combustíveis e lubrificantes (-3,5%) e equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-12,0%). Por outro lado, os segmentos que mais contribuíram para segurar a queda geral do varejo baiano no mês foram tecidos, vestuário e calçados (24,0%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (5,4%).

Também apresentaram resultados positivos no mês as vendas de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,6%) e livros, jornais, revistas e papelarias (8,4%).

Foto: divulgação