GAVIÕES DA FIEL TERÁ BOLSONARO GAY EM DESFILE

GAVIÕES DA FIEL TERÁ BOLSONARO GAY EM DESFILE

Marcado para este sábado (22), no Anhembi, em São Paulo, a escola de samba Gaviões da Fiel irá fazer uma sátira ao presidente Jair Bolsonaro. Ele será interpretado pelo carioca radicado em Londres Neandro Ferreira, 55, e faz parte da ala Governantes e Generais. “Vou vir como um Bolsonaro bem gay, bichíssima, dando muita pinta”, conta o hair designer.

Neandro promete ir além: vai levantar, em plena avenida, “e mais de uma vez” uma plaquinha com os dizeres “Fora Bolsonaro”. “Vou fazer tudo exatamente ao contrário da maneira como ele faz. É realmente um manifesto contra o machismo, o fascismo e o preconceito”, diz o cabeleireiro.

O papel do carioca no desfile é coerente com o que foi apresentado pela escola ao anunciar a sinopse do enredo “Basta!”. A Gaviões prometeu promover “um levante com ímpeto subversivo” e antifascista no sambódromo. A idéia é do carnavalesco Paulo Barros.

O samba tem Marcelo Adnet entre os compositores, e sua letra cita episódios recentes de racismo e outras violações dos direitos humanos. Traz também referências a nomes importantes para os movimentos sociais, como o ex-presidente da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz, Nelson Mandela, e o Cacique Raoni, líder indígena pioneiro na luta pela preservação da Amazônia.

CONFIRA LETRA DO SAMBA-ENREDO:
Sou eu….
O filho dessa pátria-mãe hostil
Herdeiro da senzala Brasil
Refém da maculada inquisição
Axé meu irmão!
O pai de mais um João e de mais um Miguel
Na mira da cega justiça
Que enxerga o negro como réu
Sou eu o clamor da favela
O canto da aldeia, a fome do gueto
Meu punho é luz de Mandela
No samba o levante do novo Soweto
Cacique Raoni da minha gente
Guerreiro GAVIÃO, presente!
Essa terra é de quem tem mais
Conquistada através da dor
As migalhas que você me oferece
Só aumentam minha força pra mostrar o meu valor
Meu lugar de fala, a voz destemida
Cabeça erguida por nossos direitos
Quando o fascismo do asfalto
É opressor à militância por respeito
O ventre das mazelas sociais
Ante ao preconceito vai se libertar
Vidas negras nos importam
O grito da mulher não vão calar
Meu Gavião chegou o dia da revolução
Onde a democracia desse meu Brasil
Faça o amor cantar mais alto que o fuzil
Escute o meu clamor
Oh pátria amada
É hora da luta sair do papel
Basta é o grito que embala o povo
Eu sou Gaviões, sou a voz da Fiel

 

 

 

 

foto reprodução Diário de Pernambuco