ENTREVISTA COM LUCIANO LOPES PRESIDENTE DA ABIH-BA

ENTREVISTA COM LUCIANO LOPES PRESIDENTE DA ABIH-BA

Por: João Paulo Almeida

Bahia Econômica – O centro de convenções de Salvador anunciou na semana que passou uma extensa agenda de eventos para os próximos anos na capital. Qual a importância dessa retomada para capital?

Luciano Lopes – Salvador é uma cidade de grande potencial para o turismo de negócios. Existe esse binômio grande entre o turismo de lazer e o turismo de negócios e hoje o centro de convenções é o maior porto seguro dessa movimentação. Foi anunciando uma agenda muito boa para 2022 e 2023 no turismo de negócios e isso deixa o segmento hoteleiro muito feliz e com excelentes expectativas.

Bahia Econômica – Como está a preparação dos hotéis para esse turismo de negócios na capital?

Luciano Lopes – Existem vários centros hoteleiros na cidade preparados para receber esse publico do turismo de negócio. Temos a orla da cidade, o bairro de ondina com o Fiesta, O Quality no Stiep, e vários outros polos importantes para esse segmento. Vários hotéis estão prontos em Salvador para oferecer ao turista ou empresário o melhor. Temos treinamentos, temos investimentos, e vários outros pontos importantes nesse momento.

Bahia Econômica – Qual a expectativa para movimentação financeira do setor hoteleiro em 2022.

Luciano Lopes – Nós temos um dado parâmetro de R$ 1,2 bilhão em um ano normal, sem pandemia sem problemas decretos, nem nada. Em 2022, nós podemos até chegar nesse patamar. Temos uma expectativa inicial de R$ 900 milhões para o setor hoteleiro em 2022 juntando o turismo de negócios e o turismo de lazer. Acredito que teremos um ano dentro da média.

Bahia Econômica – Em termos de geração de empregos o turismo de negócio vai movimentar a cidade?

Luciano Lopes – Sem dúvida. Os dados do ultimo caged já mostram isso. O turismo de negócios no Brasil como um todo é muito importante e na Bahia não seria diferente. São contratações temporários que acontecem o ano todo e servem de alicerce para a condição de emprego na Bahia. Acredito que em 2022, teremos uma alta na geração de emprego.

Foto: divulgação