REAJUSTE NA TARIFA DE ÔNIBUS PASSA A VALER HOJE, MAS CONSUMIDOR SÓ DEVE COMEÇAR A PAGAR EM JUNHO

REAJUSTE NA TARIFA DE ÔNIBUS PASSA A VALER HOJE, MAS CONSUMIDOR SÓ DEVE COMEÇAR A PAGAR EM JUNHO

A tarifa do transporte público em Salvador sofre reajuste e passa para R$ 4,90 a partir desta sexta-feira, 1º. No entanto, durante os meses de abril e maio, os usuários pagam o valor anterior (R$ 4,40), pois a prefeitura irá assumir o compromisso de arcar com os R$ 0,50 adicionais do valor da tarifa, enquanto aguarda aprovação do auxílio federal. A realidade pode mudar, a partir de junho, para os usuários.

Desde abril de 2021, a tarifa dos transportes públicos municipais passou a valer R$ 4,40, valor que continuará sendo pago pelos passageiros nos próximos dois meses. No entanto, a partir de junho, se não houver subsídio federal, o reajuste será repassado para os usuários do transporte público da capital, que deverão pagar o novo valor integral da passagem. O anúncio foi realizado pelo prefeito em coletiva de imprensa na quinta, 31. “Se o recurso não vier, não haverá outro caminho e, a partir de 1º de junho, a tarifa será R$ 4,90”, explicou.

De acordo com Bruno Reis, caso o reajuste tivesse levado em consideração itens como o insumo do transporte público, cujo aumento foi de mais de 100% apenas no combustível, e a inflação do período, que foi mais de 10%, a tarifa deveria aumentar para R$ 5,30. O aumento do preço da passagem de ônibus corresponde a cerca de 11,3% do valor da tarifa atual.

Acordo

“No entanto, nós negociamos com as empresas para que R$ 0,30 desse valor seja pago, abatendo da outorga do município, R$ 0,10 a Prefeitura vai assumir por todo o ano, e R$ 0,50 vamos assumir pelos meses de abril e maio, aguardando a chegada do subsídio federal, que já foi aprovado pelo Senado. Se o recurso também for aprovado pela Câmara e pelo presidente e for repassado para Salvador, não terá reajuste no transporte público na cidade este ano”, explicou o prefeito da capital.

Para o estudante de 19 anos, Pedro Henrique Domingos, o possível aumento impacta diretamente o seu cotidiano. Para frequentar a graduação na Universidade Federal da Bahia (Ufba), ele chega a ter que pegar quatro linhas diferentes de ônibus durante o dia. Com o reajuste, mesmo se utilizar o benefício da Meia Passagem Estudantil, o jovem terá que desembolsar mais R$ 110, mensalmente, apenas para ir à faculdade.

Dificuldades

“Onde eu moro, o transporte é bem restrito no que diz respeito ao destino, e às vezes é preciso usar quatro ônibus para ir para a faculdade e voltar para casa, ou até mais a depender do destino. Fora todas as outras ocasiões em que a gente precisa resolver alguma coisa”, relata o universitário. Brenda Pinheiro, 28 anos, afirma que por conta da falta de satisfação com os ônibus da cidade, acaba optando por contratar o serviço de aplicativos de transporte, apesar do preço, para se deslocar por Salvador.

Nos últimos anos, a estudante conta que deixou de utilizar o serviço todos os dias e, agora se limita, ao máximo, a utilizar os ônibus apenas três vezes por semana por se sentir mal atendida. “Cada vez mais você vê como o serviço de transporte público de Salvador está decadente. Até entendo o aumento do preço das passagens, por que ao longos dos anos, querendo ou não, isso precisa ser feito. Ainda assim, precisamos de um melhor atendimento”, diz.

Dentre algumas das deficiências do transporte público da cidade, Pinheiro enumera a falta qualidade dos veículos e de segurança pública, a demora, distância e dificuldade de locomoção como falhas do sistema que a fizeram deixar de utilizar o serviço com tanta frequência como fazia antes.

Foto: divulgação