CHEGADA DO PP A BASE DE OPOSIÇÃO MANTÉM RUI COM MAIORIA PORÉM VAI DIFICULTAR APROVAÇÃO DE PROJETOS NA ALBA

CHEGADA DO PP A BASE DE OPOSIÇÃO MANTÉM RUI COM MAIORIA PORÉM VAI DIFICULTAR APROVAÇÃO DE PROJETOS NA ALBA

O governador Rui Costa (PT) e a base governista, vão manter sua base superior em termos numéricos na assembleia legislativa da bahia, mesmo com a saída do PP. Com a adesão da bancada do PP ao bloco oposicionista na Assembleia, que será formalizada hoje no Diário Oficial do Legislativo, a minoria contará com 28 dos 63 parlamentares da Casa – sete a menos que a tropa governista. Porém agora a oposição tem número suficiente para evitar que os projetos passem por unanimidade na casa.

Embora não tenha maioria absoluta na Assembleia, alcançada a partir de 32 deputados, a oposição implodiu a chamada maioria qualificada da bancada rival. Em suma, três quintos da Casa ou 38 votos, mínimo exigido para aprovar Propostas de Emenda à Constituição (PECs) e projetos que reformem os códigos tributário e da Previdência.

Com a perda de musculatura no Legislativo, o governador Rui Costa terá dificuldade até para emplacar matérias por maioria absoluta. Caso dos projetos de lei complementar, que dependem de 32 votos favoráveis. Antes da crise com o PP, porém, Rui já patinava para destravar a pauta da Assembleia e pôr em votação a transferência da Embasa à iniciativa privada, devido a seguidas quedas de sessões por baixo quórum. Hoje, a articulação da base tem dúvidas se existe apoio consolidado para a agenda de interesse do Executivo. O cenário tende a piorar após 4 de abril, quando ocorrerá a redistribuição de espaços nas comissões permanentes por causa da nova composição de poder na Casa, onde o governo tinha domínio pleno.

Empenhado em reduzir o nível de vulnerabilidade no duelo com a oposição, Rui trabalha para manter parte dos parlamentares e prefeitos do PP na aliança petista. Mesmo que consiga minimizar a sangria, ficará obrigado a negociar sempre em condições menos confortáveis se quiser aprovar projetos do governo. O que significa escancarar a cancela para atender pedidos de deputados dispostos a mandar a lealdade para o buraco a qualquer hora. As informações são da coluna Satélite, do Jornal Correio.

Foto: divulgação