PREÇO DOS IMÓVEIS EM SALVADOR TEVE ALTA DE 1,57% EM 2021

PREÇO DOS IMÓVEIS EM SALVADOR TEVE ALTA DE 1,57% EM 2021

O Índice Fipe Zap de Preço de Imóveis Anunciados, que mapeia o preço médio de apartamentos prontos postos à venda na Internet, divulgado hoje, mostrou que comprar um novo lugar para viver em Salvador ficou ligeiramente mais caro. Enquanto o índice nacional tenha encerrado 2021 com uma alta de 5,29% nos preços de venda, a maior desde 2014, a variação nos valores praticados na capital baiana foi bem mais modesta, de 1,57% durante o ano de 2021 e de 0,2% apenas no mês de dezembro, colocando a cidade entre as que tiveram menor variação nos anúncios de imóveis.

As maiores altas foram vistas em três cidades de Santa Catarina: Itajaí com 23,77%, Itapema (+23,57%) e em Balneário Camboriú (+21,21%). Praticamente metade das cinquenta cidades brasileiras analisadas na iniciativa, feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas em parceria com a plataforma de vendas Zap tiveram aumento nominal nos valores acima da inflação, que fechou 2021 com um acumulado de 9,28% segundo o IBGE/IPCA.

Considerando apenas as capitais, o maior índice foi visto em Vitória (ES), com 19,86% de alta, ultrapassando a inflação. ainda que apenas três municípios brasileiros tiveram recuo nos valores dos apartamentos, duas paulistas e uma carioca: Santos (-2,07%), Campinas (-0,44%) e Niterói (-0,36%). Dentre as dezesseis capitais do Índice Fipe Zap, todas apresentaram alta no preço dos imóveis anunciados. A maior cidade do país, São Paulo também é dona do metro quadrado mais caro do Índice Fipe Zap.

O paulistano desembolsa R$ 9,7 mil por metro do seu imóvel. Os maiores preços estão também pelo Rio de Janeiro (R$ 9,65 mil) e por Balneário Camboriú (R$ 9,3 mil), ultrapassando a média dos municípios avaliados, que ficou em R$ 7.814 o m². Na outra ponta da tabela, as metropolitanas Betim (MG) e São José dos Pinhais (PR) tiveram o metro mais barato, custando R$ 3 mil e R$ 3,78 mil respectivamente. Salvador, que teve quase 30 mil anúncios do Zap monitorados para o levantamento, ficou no meio do caminho, com o m² saindo numa média de R$ 5,3 mil.

Nos bairros de Salvador, o metro quadrado mais caro continua na Barra, saindo a R$ 7,2 mil; o Caminho das Árvores (R$ 6,5 mil/m²) e sua vizinha Ondina (R$ 6,1 mil/m²) completam o ranking. Porém, a expansão da capital baiana no sentido da Avenida Paralela alavancou os preços dos apartamentos localizados no Imbuí, com uma alta de 11,8% em doze meses e valendo R$ 5,4 mil o metro quadrado, seguida de perto pelo Rio Vermelho, que teve incremento de 11,1% e custo de R$ 5.978 por m². As maiores quedas por metro quadrado foram vistas na Graça, com recuo de 9,4% no intervalo de um ano, e em Pernambués, onde a baixa foi de 9,2%. Nesses dois bairros, o m² custa R$ 5.490 e R$ 5.034, respectivamente.

Foto: divulgação