DE 2018 PARA 2019, NÚMERO DE EMPRESAS DE ALTO CRESCIMENTO SEGUIU AUMENTANDO E CHEGOU A 2.500 NA BAHIA

DE 2018 PARA 2019, NÚMERO DE EMPRESAS DE ALTO CRESCIMENTO SEGUIU AUMENTANDO E CHEGOU A 2.500 NA BAHIA

Com o saldo positivo no total de unidades locais de empresas na Bahia, entre 2018 e 2019, o empreendedorismo empresarial seguiu avançando no pré-pandemia, no estado, que teve mais um aumento no número de empresas de alto crescimento. Empresas de alto crescimento são aquelas que mostram um incremento médio do pessoal ocupado assalariado de pelo menos 20% ao ano, por um período de três anos seguidos, e que tinham 10 ou mais trabalhadores assalariados no primeiro ano de observação. Ou seja, são empresas que crescem sucessivamente em porte e, por isso, têm muita importância na geração de emprego.

Em um ano, o total de unidades locais de empresas de alto crescimento na Bahia subiu 7,4%, passando de 2.328 para 2.500, o que representou mais 172 unidades locais dessa categoria entre 2018 e 2019. Foi o terceiro aumento consecutivo, porém, em 2019, o número de unidades de alto crescimento na Bahia (2.500) ainda não chegava ao existente em 2015 (2.584) e estava 27,8% abaixo do ponto mais alto da série, verificado em 2012 (3.465 unidades de alto crescimento). Além disso, as unidades empresariais de alto crescimento representavam, em 2019, só 1,1% do total de unidades locais ativas na Bahia.

Entre 2018 e 2019, o número de unidades locais de empresas de alto crescimento também seguiu avançando no Brasil como um todo (+14,1%), passando de 52.580 para 59.992. Foi o segundo crescimento seguido, com avanços em 25 dos 27 estados. Na Bahia, 11 das 19 atividades econômicas tiveram aumento no número de unidades de alto crescimento, entre 2018 e 2019. Os segmentos que lideraram esse avanço, em termos absolutos, foram atividades administrativas e serviços complementares (+64 unidades locais de alto crescimento), transporte, armazenagem e correio (+52) e construção (+52).

No outro extremo, comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas  (-62 unidades de alto crescimento), eletricidade e gás (-32) e alojamento e alimentação (-22) tiveram as maiores quedas no número de unidades de alto crescimento na Bahia, entre 2018 e 2019.

Foto: divulgação