ENTREVISTA – ROBERTO DURAN PRESIDENTE DA SALVADOR DESTINATION

ENTREVISTA - ROBERTO DURAN PRESIDENTE DA SALVADOR DESTINATION

Por: João Paulo Almeida

Bahia Econômica – O ministério do Turismo autorizou o retorno dos cruzeiros de cabotagem e a Bahia sempre foi um dos destinos mais procurados, como o senhor avalia essa questão?

Roberto Duran – Nós vemos o retorno dos cruzeiros de Cabotagem com bons olhos. Temos uma série de protocolos rígidos para cumprir, mas agora os navios saem da Europa vazios e vem até Salvador e outros destinos no Brasil para receber brasileiros e viajar pela nossa costa. Esse é o Cruzeiro de cabotagem. As companhias devem anunciar em breve como vão trabalhar nesse retorno que é considerado mais um passo importante.

Bahia Econômica – Qual a expectativa de movimentação financeira para essa temporada?

Roberto Duran – Ainda é muito difícil se prever como as companhias vão se comportar com essas mudanças. Antes os pacotes eram vendidos com roteiros até o Chile, Argentina por exemplo. Agora não pode acontecer isso. Agora tem que ser apenas cabotagem, dentro do Brasil. Foi isso que o governo autorizou, então é uma readequação de como as coisas vão funcionar nesse novo formato. Não sabemos se vai ter movimentação, não sabemos se vai ter passageiros, vamos esperar, acho que antes de novembro os pacotes das companhias serão disponibilizados.

Bahia Econômica – Os custos para os Cruzeiros aumentaram com a pandemia ?

Roberto Duran – Com certeza. Os navios vão sair da Europa dos Estados Unidos vazios e chegar no Brasil para fazer apenas a costa brasileira. A movimentação de um navio desses é imensa e os custos também, agora não tem receita alguma para essa viagem, então os custos disso aumentaram. Resta saber quem vai pagar essa conta. O preço das passagens pode subir, pode, mas não é certeza como as companhias vão se comportar. Então precisamos esperar para ver como vão ser divulgados os pacotes desses cruzeiros.

Bahia Econômica – Qual a expectativa de geração de empregos para a temporada de Cruzeiros

Roberto Duran – Os Cruzeiros não são uma fonte grande de geração de empregos na Bahia. Os portos de maior geração de postos de emprego e renda são nos portos onde predominantemente se faz os embarques e desembarques dos passageiros , e claro além de parte da tripulação que é contratada na temporada.

Foto: divulgação