CASAMENTOS EM RESORTS CRESCEM ATÉ 300% NA BAHIA

CASAMENTOS EM RESORTS CRESCEM ATÉ 300% NA BAHIA

Quem imaginava casar de véu e grinalda na igreja, com festa para centenas de convidados, teve que adiar ou adaptar o sonho, com a pandemia da covid-19. Muitas noivas ficaram com a segunda opção, o que fez surgir uma nova tendência na Bahia: os casórios em hotéis e resorts à beira da praia. Essa prática cresceu até 300% no estado, segundo levantamento do Correio. Existem espaços, como o Sítio Pasárgada, em Guarajuba, com a agenda lotada até junho de 2022.

Foram nos resorts da Costa do Sauípe que as celebrações mais cresceram – triplicaram, de junho de 2020 até junho de 2021, segundo a Aviva, empresa que administra o complexo. Os pedidos chegam a 20 por mês, com duas festas realizadas a cada 30 dias. Já no Grand Palladium Resort & Spa Imbassaí, na cidade de Mata de São João, Região Metropolitana de Salvador (RMS), 18 casamentos foram celebrados, em setembro, número 80% maior que a média antes da pandemia.

“Os casamentos e renovação de votos têm ganhado bastante força e visibilidade e têm sido cada vez mais requisitados, tanto é que temos funcionários especializados nisso. Queremos levar momentos memoráveis aos nossos clientes, experiências que marquem de forma bastante positiva”, diz o diretor-geral do Grand Palladium Imbassaí, Paulo Fernandes.

Os pacotes para esse serviço começam em R$ 3 mil, para as festas de até 10 pessoas. Por esse valor, o resort dá a decoração, jantar romântico na praia para os noivos e o bolo de casamento, mas é possível contratar cerviços de buffet à parte. As reservas precisam ser feitas com 30 dias de antecedência.

No Sítio Pasárgada, segundo a administradora Tatiane Silveira, a agenda de 2023 já está aberta. “A procura aumentou muito, principalmente, agora, com a liberação dos eventos sociais. A Bahia é um dos principais locais do Brasil para Destination Wedding”, conta Tatiane. Desde 2016 que as celebrações são feitas no Sítio, que tem 23 quartos e área de 15 mil m². As festas podem ser de até 500 pessoas.

Para ela, já havia uma tendência desse serviço antes da pandemia, que foi acentuada. “Casamentos ao ar livre, por serem em espaços abertos, dão uma segurança maior às pessoas nesse momento que ainda estamos passando. Além disso, na pandemia, as pessoas se conectaram mais com a natureza e nosso espaço proporciona isso, festas personalizadas e integradas à natureza, fora do tradicional”, acrescenta a administradora.(Correio)

Foto: divulgação