DÓLAR SOBE A R$ 4,97, EM MEIO A DENÚNCIAS DE PROPINA; BOLSA CAI

DÓLAR SOBE A R$ 4,97, EM MEIO A DENÚNCIAS DE PROPINA; BOLSA CAI

Em meio a novas acusações de corrupção contra o governo federal, o dólar registrou hoje (30) sua segunda alta consecutiva, esta de 0,63%, e fechou o dia cotado a R$ 4,973 na venda. Com isso, a moeda americana volta a se aproximar da casa dos R$ 5, distanciando-se ainda mais de seu valor mínimo de 2021, alcançado no último dia 24 (R$ 4,905). Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), registrou queda de 0,41%, aos 126.801,66 pontos. É o menor patamar atingido em quase um mês, desde 31 de maio, quando o indicador fechou aos 126.215,73 pontos.

Enquanto ainda pairam incertezas sobre a reforma tributária, entrou no radar do mercado a denúncia de que o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias teria cobrado propina durante uma negociação para compra de vacinas da AstraZeneca. O caso foi revelado ontem pelo jornal Folha de S.Paulo. Dias foi citado à Folha por Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply. Segundo ele, o ex-servidor cobrou propina de US$ 1 por vacina para fechar contrato de compra de 400 milhões de doses. O pedido teria sido feito em um jantar no Brasília Shopping, em 25 de fevereiro. Com informações da Reuters e Uol.

 

 

 

 

Foto: Getty Images