A ECONOMIA COMEÇA A DAR SINAIS DE CRESCIMENTO BEM SUPERIOR A MÉDIA DA DÉCADA

A ECONOMIA COMEÇA A DAR SINAIS DE CRESCIMENTO BEM SUPERIOR A MÉDIA DA DÉCADA

O mercado voltou a melhorar a perspectiva para a economia brasileira neste ano de 2021. O levantamento semanal do Boletim Focus, realizado pelo Banco Central, apontou que a expectativa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), subiu de 3,2% para quase 3,5% em 2021. É um número que traz de volta otimismo, afinal é um crescimento bem superior à média verificada na década passada, que foi de apenas 2,2%.

Já é possível detectar esse crescimento em setores como comércio e indústria que nos primeiros 5 meses do ano apresentam performance expressiva. E até no setor de serviços, o mais afetado pelas medidas restritivas,  alguns segmentos também voltaram a crescer. É verdade que no setor de serviços aqueles segmentos ligados ao turismo, ao setor de eventos, shows e entretenimento ainda se recuperam lentamente, mas já é possível vislumbrar a retomada. Já é visível, por exemplo, um maior movimento nos grandes hotéis e resorts e com a abertura das praias e das atrações de Salvador, os pequenos e médios estabelecimentos também vão registrar uma maior taxa de ocupação de leitos.

Aqui, vale ressaltar, que a perspectiva de crescimento depende da aceleração do processo de vacinação, mas em alguns estados e em algumas cidades o avanço tem sido significativo. A Bahia tem se colocado sempre entre os 5 estados que mais vacinaram no país e Salvador já tem mais 30% da população alvo, maiores de 18 anos vacinados com a primeira dose. Se for possível chegar a julho com mais de 50% da população soteropolitana vacinada,  tudo indica que a economia vai bombar no segundo semestre de 2021.

Mas essa perspectiva de crescimento econômico pode ser abortada, se houver uma 3ª onda que espalhe os contágios de forma mais agressiva, fazendo com que sejam implementadas novas medidas restritivas. Só a vacinação pode evitar ou reduzir o impacto da 3ª onda, por isso é urgente que o governo federal disponibilize as doses de vacinas que vão proteger os baianos e sua economia.