ENTREVISTA COM SILVIO CORRÊA SUPERINTENDENTE DA CDL SOBRE A LÍQUIDA SALVADOR

ENTREVISTA COM SILVIO CORRÊA SUPERINTENDENTE DA CDL SOBRE A LÍQUIDA SALVADOR

Por: João Paulo Almeida  

Bahia Econômica – A liquida Salvador terminou hoje em toda Bahia. Qual balanço o senhor faz da ação?

Silvio Corrêa – O balanço é positivo. Nós tivermos uma adesão de mais de cinco mil lojistas essa ano e a movimentação no comércio em geral foi muito boa, com aumento da circulação das pessoas em shoppings centers e em outros pontos. Estamos muito felizes com o resultado. O evento se mostrou ser muito importante nesse período de retomada da economia do comércio, onde devido à pandemia nós passamos mais de cinco meses fechados.

BE- Qual a expectativa de movimentação financeira do evento?

SC- Nós não temos como saber. Até por que o lojista se mostra desconfortável em divulgar o que ganha. Mas eu posso assegurar a você que se nós conseguirmos o volume de vendas de igual a antes da pandemia já será uma vitória. Nós temos essa meta. Depois da parada de cinco meses nós ainda não tínhamos conseguido vender igual à antes da pandemia e a liquida trouxe essa expectativa novamente

BE- Em termos de geração de empregos a liquida fez o comércio contratar?

SC- Não. Nós acreditamos que as vagas perdidas na pandemia já estavam sendo recuperadas gradativamente antes da liquida, mas o período é muito curto e as empresas devem ter optado pela manutenção do quadro de funcionários. A liquida veio mais para ser um garantidor do emprego do que uma oportunidade de novas vagas

BE- Qual a participação do estado na liquida?

SC- O poder público mais uma vez ajudou a liquida e o lojista com o parcelamento em duas vezes do ICMS de fevereiro. Como todo ano acontece e isso ajuda muito o lojista nesse período de retomada da economia.