GOVERNO FEDERAL JÁ VIABILIZOU RECURSOS PRIVADOS PARA CONCLUIR OS 2 TRECHOS DA FERROVIA OESTE – LESTE

GOVERNO FEDERAL JÁ VIABILIZOU RECURSOS PRIVADOS PARA CONCLUIR OS 2 TRECHOS DA FERROVIA OESTE - LESTE

A  Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia já tem modelo e recursos para sua conclusão. São três soluções distintas. O primeiro trecho, de 537 km, que sai de Ilhéus (BA) e avança até Caetité, onde as obras estão com 76% de execução física terá edital de concessão publicado até o fim do ano, e deverá ser assumido em leilão marcado para o primeiro trimestre de 2021 pelaBahia Mineração (Bamin), empresa controlada pelo Eurasian Resources Group (ERG), do Cazaquistão.

O investimento previsto para a conclusão é de R$ 1,6 bilhão. Ao mesmo tempo, o Porto Sul, em Ilhéus, destino da ferrovia, começou a ser construído em julho pela Bahia Mineração (Bamin). A produção de ferro da Bamin de até 18 milhões de toneladas por anovai ser escoada por esse trecho.

Para a conclusão do segundo trecho, trecho central de 485 quilômetros da Fiol entre as cidades de Barreiras e Caetité, o governo federal, através do processo de renovação antecipada das concessões da Vale, negociou um montante de R$ 410 milhões para compra dos trilhos que faltam para terminar a obra. O leilão será feito no primeiro trimestre de 2021.

Para o terceiro lote, de Barriras a Figueropólis, o Ministério da Infraestrutura negocia mais uma parceria com o setor privado. (ESP)