SALVADOR É 1ª CAPITAL EM Nº DE CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA

SALVADOR É 1ª CAPITAL EM Nº DE CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA

Em meio à pandemia de Covid-19, uma boa notícia vinda da área da Educação: Salvador está em primeiro lugar dentre as demais capitais do Brasil no acesso à pré-escola. Os dados, divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2019 (PNAD), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram destacados nesta quinta-feira (16) pelo prefeito ACM Neto e pelo secretário municipal da Educação (Smed), Bruno Barral.

De acordo com o estudo, a taxa de escolarização de crianças em Salvador nessa etapa, que atende a faixa etária de 4 a 5 anos, aumentou de 96,2%, em 2016, para 98,8% em 2019. O índice é quase um ponto percentual a mais que a segunda colocada Teresina, capital do Piauí, que registrou 97,9%.

“Estamos muito felizes, porque isso significa que somos a primeira capital em quantidade de alunos matriculados na pré-escola. É bom lembrar que, há pouco mais de sete anos, Salvador ocupava uma das últimas posições no Brasil em Educação. Esse é um prêmio que vem coroar todo um trabalho e um grande esforço que vem sendo feito pela Prefeitura para melhorar a qualidade e ampliar o acesso das nossas crianças à educação”, pontuou ACM Neto.

Investimento – De acordo com o prefeito, o resultado é fruto do conjunto de ações que envolveu oferta de novas vagas na rede municipal, construção de pré-escolas e ampliação de unidades já existentes, além da criação do programa Pé na Escola, com oferta de vagas contratadas pela Prefeitura na rede particular.

“Para que a criança possa se alfabetizar, ou seja, ler e escrever na idade certa, é fundamental que ela comece a ter o convívio com o aprendizado já na educação infantil. Não há investimento melhor pensando no futuro de Salvador do que investir na educação e formação das crianças”, avaliou ACM Neto.

Universalização – O secretário Bruno Barral ressaltou que a capital baiana chega mais próximo à universalização do ensino para crianças de 4 a 5 anos, exigido pelo Plano Nacional de Educação. O grande desafio, agora, é manter esse ritmo de crescimento.

“Quando se aplica os recursos da forma correta, você tem esse tipo de resultado. Nesses tempos de pandemia, essa notícia é bastante alentadora e nos dá esperança de uma retomada e de um mundo melhor através da educação”, pontuou o titular da Smed.

 

 

 

Foto: Max Haack/Secom