NOVO PROJETO PREVÊ CRESCIMENTO NA PRODUÇÃO DE SOJA NA BAHIA

NOVO PROJETO PREVÊ CRESCIMENTO NA PRODUÇÃO DE SOJA NA BAHIA

Segundo dados das projeções do agronegócio, um relatório divulgado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária com base em dados fornecidos por vários órgãos nacionais, com a análise de técnicos do ministério e da Embrapa, daqui a 10 anos os agricultores do estado estarão produzindo 40,9% a mais de milho do que em 2019. Serão cerca de dois milhões e trezentas mil toneladas do cereal por safra. Com esta marca, os agricultores baianos terão registrado o maior percentual de crescimento de milharais do país em dez anos. Os produtores rurais de soja da Bahia também não ficarão para trás. Eles devem colher em 2029 quase 7 milhões de toneladas só de soja, cerca de 36,1% a mais do que em 2019. Muito mais do que um exercício futurista, os dados fazem parte das.

O estudo indica que a agropecuária da Bahia vai registrar um crescimento anual geral de até 3% entre as safras de 2018/2019 e a de 2028/2029. A trajetória colocará a Bahia ainda mais em evidência na oferta de alimentos. Os dados apontam que o estado vai se manter como maior produtor de banana do país, respondendo por 15% da produção nacional. Também são projetadas elevações de 40,7% na produção da uva, de 32,5% de melão, e de 16,9% de manga. Atualmente os cultivos destas frutas se concentram no Vale do São Francisco, no Vale do Jequiriça, no extremo sul, na região de Bom Jesus da Lapa e no nordeste da Bahia. Os principais mercados das frutas são os Países Baixos, os Estados Unidos, Reino Unido e Espanha.

Pujante e em expansão. O estudo dedica um capítulo especial sobre a região do Matopiba, que reúne parte dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. A parte baiana representa cerca de 18,06% desta área. Segundo o levantamento de longo prazo, a produção geral de grãos nesta parte do Nordeste deve crescer 28,6% nos próximos dez anos, apesar da área plantada ser expandir em apenas 14,9%. Entre 2018 e 2028, a estimativa é de que o aumento na produção agrícola em alguns municípios baianos seja maior do que a média nacional. Os agricultores de Luiz Eduardo Magalhães vão passar a produzir 57% a mais de soja, vai ser o maior crescimento do país.

Em Formosa do Rio Preto as lavouras devem crescer 30% nos próximos 10 anos, e em Correntina cerca de 24%. Não por acaso, a região do Matopiba é considerada a última fronteira agrícola do Brasil. A área é a única do país onde a agricultura ainda tem espaço para se expandir legalmente. O Matopiba tem 90,94% da área ocupada pelo bioma cerrado, cerca de 7% por floresta amazônica e 1,64% pela caatinga. Um dos desafios da região é harmonizar as questões agrárias e ambientais. Nos quatro estados, o Matopiba abrange 337 municípios, 42 unidades de conservação, 35 terras indígenas, 36 territórios quilombolas e mais de mil assentamentos de reforma agrária.