GOVERNO TRABALHA COM CRESCIMENTO DE 2,5% DO PIB DE 2018, DIZ PADILHA

GOVERNO TRABALHA COM CRESCIMENTO DE 2,5% DO PIB DE 2018, DIZ PADILHA

O Ministro da Casa Civil Eliseu Padilha afirmou hoje (17/05) que o governo trabalha com a previsão de crescimento da economia brasileira em 2,5% para esse ano. A estimativa reforça a tendência percebida pelo mercado financeiro de decréscimo no ritmo de recuperação pós-crise da economia nacional. Ainda em dezembro de 2017, o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, previa expansão do PIB do país em torno de 3%.

Desde então, as expectativas e o otimismo foram murchando, embora o país tenha superado a crise e invertido o sinal do desempenho do PIB, que, agora, opera em campo positivo. A declaração de Padilha vem no dia seguinte à divulgação da taxa de juros básica da economia, a Selic, estacionada em 6,5%, após a série de cortes implementada pelo Comitê de Política Econômica (Copom). A notícia veio como um balde de água fria, pois o mercado apostava na continuidade de uma política expansionista, o que daria mais folego à retomada econômica.

“Nós vínhamos numa projeção do PIB crescendo 3%, mas agora nesse primeiro trimestre não tivemos o crescimento esperado e nós do governo, de forma conservadora, estamos mantendo a previsão que tínhamos lá no final do ano passado”, disse Padilha em entrevista a agências internacionais. “Nossa previsão é que fique entre 2,5% e 3%. Hoje, na análise feita, a tendência é projetando mais para direção dos 2,5%. Nós, no governo, preferimos não trabalhar com número superior a 2,5%”, completou. Na última projeção oficial do governo, feita no fim de março, a expectativa era de um avanço de 2,97%.

A possibilidade de aprovação da reforma da previdência, que daria um alento ao mercado e sinalizaria com a perspectiva de um saneamento das contas públicas, foi frustrada, pois o presidente Michel temer empenhou todo o seu capital político na reação às denúncias da Procuradoria Geral da República (PGR). O clima de incerteza aumenta de maneira ainda mais forte por conta das interrogações em torno das eleições presidenciais.

Apesar do contexto, Padilha argumenta que o governo está no rumo certo, ainda que o crescimento econômico e a recuperação do mercado de trabalho com a geração de empregos não tenham respondido como o esperado. Com informações da Folha de S. Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.