LANÇADO CANDIDATO, ZÉ RONALDO TEM COMO DESAFIO A UNIÃO DA OPOSIÇÃO

LANÇADO CANDIDATO, ZÉ RONALDO TEM COMO DESAFIO A UNIÃO DA OPOSIÇÃO

O DEM lançou no último Sábado, com apoio total do partido e do Prefeito ACM Neto, a candidatura de José Ronaldo ao governo do Estado. Com esse movimento, o DEM se lança em uma empreitada que tem como desafio não só tornar José Ronaldo um candidato competitivo, como também manter a unidade das oposições.

São duas tarefas gigantescas. Nesse momento, todas as condições estão dadas para que o governador Rui Costa seja eleito talvez no primeiro turno e para mudar esse quadro será fundamental que as oposições se mantenham unidas e que se alinhem com uma candidatura presidencial forte.

Embora o nome do ex-prefeito de Feira de Santana seja relativamente conhecido no interior do Estado, onde em muitas localidades é conhecido como Zé do Sertão, ele ainda não encarna a figura de candidato a governador, além de ser completamente desconhecido em Salvador. Esse é o primeiro desafio e envolve diretamente a figura do Prefeito ACM Neto que terá papel fundamental na transferência de votos e apoio ao candidato do DEM, tanto em Salvador como no interior.

O outro desafio será manter a unidade das oposições sem ceder a cabeça de chapa. O Presidente do PSDB na Bahia, deputado João Gualberto deve confirmar nesta segunda-feira, em reunião no PSDB, sua pré-candidatura ao governo, e, embora siga pregando a unidade das oposições, dificilmente aceitará que a cabeça de chapa fique com José Ronaldo do DEM. Gualberto tem demonstrado vontade de concorrer na chapa majoritária e tem como trunfo ter o fato do seu partido ter candidato à presidência, Geraldo Alckmin, entre os principais postulantes ao cargo. Já o DEM permanece com a candidatura do Presidente da Câmara de Deputados, Rodrigo Maia, que não deslanchou ainda.

Nesse contexto, Gualberto aparece com mais cacife do que Zé Ronaldo para unir as oposições, mas em termos de competitividade o ex-prefeito de Mata de São João é menos conhecido ainda que o ex-prefeito de Feira de Santana. A tendência é que essas discussões se ampliem adiando a definição da chapa das oposições, o que só faz beneficiar o governador Rui Costa, candidato a reeleição. Em suma: a incerteza continua rondando a oposição, fortalecendo a chapa do governo.(AA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.