segunda, 15 de abril de 2024
Euro 5.5233 Dólar 5.1909

VINI JR CHORA AO DESABAFAR SOBRE RACISMO: ‘CADA VEZ TENHO MENOS VONTADE DE JOGAR’

LUIZA SANTOS - 25/03/2024 19:56

Em uma das suas mais intensas expressões de desabafo desde os repetidos ataques racistas na Europa, Vinícius Júnior compartilhou suas emoções nesta segunda-feira, revelando como os ataques estão minando sua vontade de jogar. Durante uma coletiva de imprensa em preparação para o amistoso entre Brasil e Espanha, o jogador brasileiro, que representa tanto a seleção quanto o Real Madrid, abriu o coração diante dos jornalistas brasileiros e espanhóis, com tradução para o idioma local.

Vinícius Jr. expressou suas emoções de forma contundente, provocando impacto não apenas nas câmeras, mas também nos repórteres presentes, ao compartilhar sua frustração pela falta de ações concretas diante das contínuas manifestações de racismo que tem enfrentado nos últimos dezoito meses no futebol espanhol.

“Cada vez estou mais triste e tenho menos vontade de jogar. Mas não vou desistir”, disse o atacante, ao rebater críticas da imprensa espanhola. “Eles têm que falar menos das coisas de errado que eu faço dentro de campo. Tenho apenas 23 anos, tenho muito a melhorar. É um processo natural, saí muito novo do Brasil, não pude aprender tantas coisas. Sigo estudando. Por que os repórteres da Espanha, que são mais velhos que eu, não podem estudar?”

Ele compartilhou sua tristeza crescente diante das constantes adversidades e denúncias de racismo, não só para si, mas para todos os negros que enfrentam discriminação diariamente. “O racismo verbal é apenas uma fração do que os negros enfrentam no mundo”, declarou o atacante.

Para Vinícius, a luta contra o racismo se tornou uma prioridade em sua vida, superando até mesmo os resultados no campo de jogo. “No futebol, há muitos jogadores melhores do que eu… Eu quero contribuir para a evolução das pessoas, promover igualdade. Espero que em um futuro próximo tenhamos menos casos de racismo. Que as pessoas negras possam viver uma vida normal, como todas as outras. Se dependesse de mim, eu já teria desistido e ficado em casa, longe de insultos. Mas tenho que me concentrar nos jogos para contribuir com minha equipe”, disse ele, com lágrimas nos olhos.

“Desculpa, eu só queria jogar futebol, fazer de tudo pelo meu clube e pela minha família”, declarou.

FOTO: Lucas Figueiredo/CBF

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.