sexta, 19 de julho de 2024
Euro 6.098 Dólar 5.6089

EDUCAÇÃO SEGUE COM AUMENTO IMPORTANTE EM 2024 E, AO LADO DE ALIMENTAÇÃO PUXAM PRÉVIA DA INFLAÇÃO DE FEVEREIRO NA RMS

João Paulo - 27/02/2024 14:58

O IPCA-15 de fevereiro na Região Metropolitana de Salvador (0,90%) foi resultado de aumentos nos preços de sete dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados para formar o índice. Como é costume ocorrer no mês, as despesas com educação (6,08%) tiveram o maior aumento e exerceram a principal pressão inflacionária. É em fevereiro que o IBGE capta a maior parte dos aumentos nas mensalidades escolares. Por isso os gastos com educação tradicionalmente têm impacto importante nos índices de inflação do mês (IPCA-15 e IPCA). A tendência se manteve em 2024 e, embora o aumento neste ano tenha ficado um pouco abaixo do verificado em 2023 (6,26%), foi o segundo mais elevado em sete anos, desde 2017 (quando a alta do grupo educação havia sido de 7,50%, na RM Salvador).

Os cursos regulares (escolas) aumentaram 7,84%, segundo o IPCA-15, puxados, mais uma vez, pelo ensino fundamental (9,78%), item que individualmente mais empurrou para cima a prévia da inflação de fevereiro, na RMS. Também exerceram importante pressões os aumentos significativos no ensino superior (4,69%), na pré-escola (10,19%) e no ensino médio (9,45%). Mesmo com um aumento médio bem menor nos preços, o grupo alimentação e bebidas (1,11%) também teve impacto importante no sentido de elevar o custo de vida na Região Metropolitana de Salvador, segundo a prévia da inflação de fevereiro. Isso porque esse é o conjunto de despesas que mais pesam nos orçamentos das famílias da RMS e, logo, na composição do IPCA-15.

Cerais, leguminosas e oleaginosas (7,29%) como o arroz (8,00%); tubérculos, raízes e legumes (6,91%) como a cenoura (41,54%, maior aumento dentre todos os produtos e serviços pesquisados mensalmente); e frutas (0,85%) como a banana-prata (9,21%) foram alguns dos produtos que mais influenciaram no resultado dos alimentos. Por outro lado, os grupos habitação (-0,90%) e vestuário (-0,05%) tiveram deflações no IPCA-15 de fevereiro, na RMS, e contribuíram para evitar um aumento ainda maior do índice. A energia elétrica (-4,88%) foi o item que, individualmente, mais ajudou a segurar a prévia da inflação no mês, e as roupas infantis (-1,04%) também exerceram influência expressiva nesse sentido. Mesmo entre os grupos em alta, houve itens importante nas despesas das famílias que também mostraram queda média de preços, no IPCA-15 de fevereiro. Caso das passagens aéreas (-14,15%, maior queda média de preços entre todos os produtos e serviços pesquisados) e do pão francês (-2,71%), entre outros.

Imagem de Merhan Saeed por Pixabay

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.