terça, 18 de junho de 2024
Euro 5.82 Dólar 5.4259

FORTALEZA MANTÉM A LIDERANÇA NA ECONOMIA NORDESTINA, SALVADOR TEM A SEXTA MAIOR PERDA DE PARTICIPAÇÃO NO RANKING BRASILEIRO

João Paulo - 15/12/2023 13:01 - Atualizado 16/12/2023

A economia de Salvador continua em queda, num processo que vem desde 2014.  E os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) de Salvador para 2021 divulgados  pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mantém a tendência.  Segundo os números o PIB da capital  da Bahia foi estimado em R$ 62,954 bilhões. Frente a 2020, quando o valor havia sido de R$ 58,909 bilhões, houve um aumento nominal (que inclui a variação dos preços) de 6,9%.

Fortaleza, que desde meados da segunda década do século superou Salvador é a  8ª maior economia  entre as capitais brasileiras e 1ª do Nordeste, com um PIB de R$ 73,436 bilhões, em 2021. Salvador continuou com o 9º maior PIB entre as capitais e o 2º do Nordeste.  Salvador parece fortalecer a tendência de queda da economia, pois   teve, de 2020 para 2021, a 6a maior perda de participação no PIB nacional, dentre todos os 5.570 municípios brasileiros: passando de 0,77% para 0,70%. A capital baiana perdeu duas posições entre as 15 maiores economias do país.

O crescimento de 6,9% do PIB não foi suficiente, porém, para que a economia  atingisse ou superasse o patamar pré-pandemia. Em 2021, o PIB da capital baiana ainda estava 1,5% abaixo do registrado em 2019 (R$ 63,902 bilhões).

Dentre as capitais, além de Salvador, apenas Palmas/TO e Porto Alegre/RS não viram seu PIB de 2021 superar o de 2019, em valores correntes. Entre 2020 e 2021 o PIB brasileiro cresceu 4,8% em volume (desconsiderando a variação dos preços). O desempenho também foi positivo em todas as 27 unidades da Federação, inclusive na Bahia (+3,0%), e nas 27 capitais (incluindo Brasília).

A taxa de crescimento nominal do PIB soteropolitano (6,9%), porém, foi a 4a mais baixa entre as capitais, só acima das verificadas em Porto Velho/RO (3,2%), Palmas/TO (3,9%) e Natal/RN (6,7%). No outro extremo, as capitais com os maiores avanços nominais do PIB, entre 2020 e 2021, foram Vitória/ES (23,1%), Maceió/AL (19,9%) e Rio Branco/AC (17,0%). O PIB dos Municípios não tem variações em volume.

Apesar de ter tido um crescimento nominal do PIB entre 2020 e 2021, diante do cenário geral de altas no período, Salvador perdeu duas posições no ranking das maiores Economias municipais do país: de 12ª para 14ª. Foi superada pelos municípios de Maricá/RJ, que passou a ter o 8º maior PIB do Brasil em 2021 (R$ 85,814 bilhões), e Niterói/RJ, que ficou na 13ª colocação (R$ 66,345 bilhões).

 

Entre 2020 e 2021, São Paulo/SP mais uma vez liderou o movimento de perda de participação no PIB do país, caindo de 9,82% para 9,20%. Em seguida vieram Rio de Janeiro/RJ (de 4,36% para 3,99%) e Brasília/DF (de 3,49% para 3,18%).

Foto: Jefferson Peixoto/Secom

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.