terça, 25 de junho de 2024
Euro 5.8267 Dólar 5.3936

BOA PARTE DOS BRASILEIROS POSSUI TRÊS OU MAIS CARTÕES DE CRÉDITO

LUIZA SANTOS - 26/07/2023 15:38 - Atualizado 26/07/2023

O cartão de crédito é um dos métodos de pagamento mais utilizados no Brasil, e segundo o Serasa, mais da metade da população brasileira possui três ou mais cartões de crédito. A pesquisa foi realizada entre 2 de abril e 2 de maio, e contou com a participação de três mil entrevistados.

Os participantes do estudo alegaram que, com o número elevado de cartões, eles podem somar o crédito no final do mês, postura que pode ser um tanto perigosa caso o usuário não tenha um bom controle sobre as suas finanças. Todavia, pouco mais de 50% dos entrevistados alegaram que fazem o uso consciente do método de pagamento.

O estudo também revela que uma parcela significativa dos entrevistados tende a utilizar o método de pagamento em compras corriqueiras do dia a dia, como para colocar combustível no veículo, comprar roupas ou com alimentação. Sendo que devido a sua popularidade, atualmente no país existe inclusive a possibilidade de apostar usando cartão de crédito nas melhores plataformas de palpites atuantes no país. Essas operadoras escolhidas pelo apostasesportivas24.com não só aceitam o cartão de crédito como método de pagamento, e também oferecem um bom bônus para os seus usuários. Com isso, eles podem usar um saldo promocional extra para realizar um número maior de apostas em suas competições favoritas gastando pouco.

De acordo com a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), atualmente no país 69% das compras realizadas no cartão de crédito estão relacionadas a alimentação ou supermercado. Todavia, o uso do método de pagamento de forma descontrolada pode colaborar para que o consumidor acabe com suas finanças “no vermelho”.

Segundo Ione Amorim, coordenadora do programa financeiro do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o brasileiro deve estar atento à utilização do método de pagamento e os seus gastos precisam estar diretamente associados à sua média de consumo e nível de renda. “Não é o limite que determina o uso, e sim, a sua capacidade de pagamento”, afirma a especialista.

Ela ainda destaca, que para que o cartão de crédito não se torne um vilão para o consumidor, ele precisa ter uma certa disciplina financeira e sempre pagar suas faturas dentro do prazo, para não incidir a cobrança de juros rotativos, que no Brasil são elevadíssimos.

Já o especialista em finanças e investimentos, Hulisses Dias, aponta que se bem utilizado, o cartão de crédito oferece algumas vantagens para o consumidor, como o programa de milhas adotado por certos bancos. “Caso você participe de um programa de milhas, elas podem ser transformadas em outros benefícios. Então, ela é um direito que te dá oportunidade de transformar isso em dinheiro ou em benefícios que a pessoa pode gastar como bem entender”, explica Hulisses.

Pix em alta

Desde que foi lançado em 2020, a adesão do brasileiro ao Pix impressiona, e em seu terceiro ano em funcionamento, o método de transferência instantânea desenvolvido pelo Banco Central (BC), já se tornou um dos mais utilizados do país. De acordo com uma pesquisa realizada pela McKinsey, uma consultoria financeira, em 2022 o Pix foi mais utilizado que o dinheiro, já que ele representou 14% de todos os valores transacionados pelos brasileiros, sendo que o papel moeda foi usado em 10% dos casos.

O estudo ainda aponta que o Pix tem conseguido substituir aqueles pagamentos que eram anteriormente feitos no cartão de débito ou no dinheiro. Dos entrevistados que participaram do levantamento da McKinsey, 27% alegaram que passaram a usar o Pix no lugar do dinheiro, e 19% adotaram o novo método em substituição ao cartão de crédito.

O Pix também tem ocupado o lugar de métodos de transferências bancárias tradicionais, como TED e DOC, já que 18% dos participantes alegaram que substituíram essas formas de pagamento pela ferramenta do Banco Central.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.