terça, 25 de junho de 2024
Euro 5.8267 Dólar 5.3936

MEDIDAS ECONÔMICAS DO GOVERNO E QUEDA DOS JUROS ABREM ESPAÇO PARA FORTE ALTA DA BOLSA

João Paulo - 03/07/2023 08:05

Segundo informações divulgadas pelo Banco Central, a Bolsa brasileira deve passar por um forte momento de alta nos próximos meses. Um dos principais pontos para essa nova fase é a grande possibilidade do inicio do corte de juros.  A aprovação pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) do novo regime de meta de inflação reforçou ainda mais a expectativa dos agentes financeiros em relação à redução da taxa Selic no curto prazo. As taxas dos juros futuros, que embutem as apostas do mercado sobre a condução da política monetária, tiveram forte queda na sexta-feira (30).

As projeções de bancos e corretoras para o Ibovespa, o principal índice acionário da B3, variam entre os 125 mil e os 140 mil pontos para os próximos seis a 12 meses, o que embute um potencial de valorização de quase 20% no caso das estimativas mais otimistas. Incorporando a melhoria do cenário macroeconômico desde o início do ano, no acumulado do primeiro semestre, o Ibovespa teve valorização de 7,6%, aos 118.087 pontos. O que não significa que o potencial de alta tenha se esgotado.

Segundo relatos divulgados pelo relatório do banco Santander, a projeção que prevê o Ibovespa aos 140 mil pontos em junho de 2024, o que corresponde a uma valorização de 18,5% em 12 meses. “A gente está com uma visão bem positiva [para a Bolsa] nos próximos 12 a 18 meses. Estamos no início de um ‘bull market’ [ciclo de forte alta das ações] no Brasil”, afirma Aline Cardoso, chefe da área de pesquisa e estratégia de ações do Santander. A provável queda dos juros é um dos principais fatores que embasam a visão positiva do Santander para a Bolsa. O banco conduziu um estudo que buscou analisar o comportamento da Bolsa nos últimos nove ciclos de corte de juros, entre 1999 e 2020.

Foto:  (Adriano Machado/Reuters)

Copyright © 2023 Bahia Economica - Todos os direitos reservados.