BUSCA PELO NOVO IMÓVEL PARA COMPRA CRESCE NO NORDESTE, DIZ PESQUISA

BUSCA PELO NOVO IMÓVEL PARA COMPRA CRESCE NO NORDESTE, DIZ PESQUISA

Mesmo com o aumento de preços e pela alta dos juros, a procura por imóveis vem sendo grande em todo Brasil. Segunda região mais populosa do país, o Nordeste é a região com maior número de pessoas buscando imóvel para comprar. Levantamento da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC) mostra que quatro em cada dez moradores da região estão em busca de um novo imóvel, seja para investimento, sair do aluguel ou simplesmente ter um novo lar. Em Salvador, por exemplo, foram vendidos no 1º trimestre deste ano 1.191 imóveis residenciais.

“O interesse do consumidor nordestino é de 40%, superior à média nacional, que é de 35%. Na região, 22% das pessoas com intenção de comprar um novo imóvel pretendem fazer o negócio em até 12 meses, sendo 2% deste total nos próximos seis meses. Por sua vez, 48% tem a mesma intenção de compra, mas em um prazo maior: entre 12 e 24 meses e 30% vão levar mais de dois anos”, mostra a pesquisa que revela ainda que dos moradores dos nove Estados da região, 3% começaram a visitar stands de vendas, 6% realizam buscas pela internet e 31% ainda não começaram a procura.

O levantamento também destacou que 47% dos nordestinos optam por apartamentos, enquanto 41% preferem por casas ou sobrados, enquanto 19% desejam imóveis em condomínio fechado (19%) ou terrenos (11%).  Conforme a ABRAINC, nos últimos cinco anos, foram lançadas mais de 110 mil unidades habitacionais apenas nas capitais nordestinas. Salvador concentrou a maioria dos novos lançamentos com 20.571 empreendimentos no período, o que representa 19% do total.

Para o presidente da ABRAINC, Luiz França, os dados indicam a perspectiva de um futuro promissor do mercado imobiliário nordestino, que está em um processo de retomada, após a crise da Covid-19, e com boas perspectivas de crescimento. “A demanda para habitação do Nordeste, até 2030, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), é de 3,2 milhões de famílias”, pontuou o executivo.

Preço

Os preços dos imóveis residenciais à venda em Salvador encerraram o 1º trimestre do ano com alta de 2,22%. Os dados são do Índice FipeZap, que monitora o valor médio de imóveis anunciados para venda em 16 capitais e 50 das maiores cidades do país. “Apesar deste cenário, o índice de vendas se manteve próximo à estabilidade no primeiro trimestre de 2022”, apontou o Indicador de Confiança do setor Imobiliário Residencial, realizado pela ABRAINC. Segundo os dados do índice, os bairros da capital com maior variação do preço médio de venda são: Barra (R$ 7.306 /m²), Caminho das Árvores (R$ 6,714 /m²), Ondina (R$ 6.249 m), Rio Vermelho (R$ 6.041 /m²), Itaigara (R$ 5.828 /m²), Pernambués (5,728/m²), Imbuí (R$ 5.672 /m²), Graça (R$ 5.621 /m²), Pituba (5.577 /m²) e Brotas (R$ 5.209 /m²).

Foto: divulgação