NO GOVERNO BOLSONARO, SALÁRIO MÍNIMO PERDE PODER DE COMPRA PELA PRIMEIRA VEZ DESDE O PLANO REAL

NO GOVERNO BOLSONARO, SALÁRIO MÍNIMO PERDE PODER DE COMPRA PELA PRIMEIRA VEZ DESDE O PLANO REAL

Segundo dados da corretora Tullett Prebon Brasil, o presidente Jair Bolsonaro vai terminar seu mandato em dezembro de 2022 como o primeiro presidente, desde o Plano Real, a deixar o salário mínimo valendo menos do que quando entrou.Os números apontam uma perda de a perda será de 1,7% nenhum governante neste período, seja no primeiro ou segundo mandato, entregou um mínimo que tivesse perdido poder de compra.

Isso, se a inflação não acelerar mais do que o previsto pelo mercado no Boletim Focus, do Banco Central, base das projeções da corretora. As previsões vêm sendo revisadas para cima há 16 semanas. O piso salarial cairá de R$ 1.213,84 para R$ 1.193,37 entre dezembro de 2018 e dezembro de 2022, descontada a inflação.

Dois fatores explicam a perda inédita. Um deles é o ajuste fiscal, pelo peso do salário mínimo na indexação do Orçamento da União, ou seja, reajustes no piso têm impacto em uma gama de outras despesas, como benefícios sociais e gastos com Previdência. O segundo é a aceleração da inflação.

Há três anos, não há reajuste do piso acima da inflação. O último foi em 2019, quando ainda prevalecia a regra de correção que considerava a inflação mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Veja quantos brasileiros são afetados diretamente pela perda de poder de compra e como isso influencia o pagamento de pensões e aposentadorias no país em reportagem exclusiva do GLOBO.

Foto: divulgação