COMÉRCIO NA BAHIA RETRAI 2,7% EM FEVEREIRO, APONTA FECOMÉRCIO-BA

COMÉRCIO NA BAHIA RETRAI 2,7% EM FEVEREIRO, APONTA FECOMÉRCIO-BA

O comércio varejista baiano faturou 8,6 bilhões de reais em fevereiro deste ano, queda de 2,7% na comparação anual, o que representa uma perda monetária de R$ 242 milhões. Os dados foram divulgados pela Fecomércio-BA nesta terça-feira, 26, com base nas informações de pesquisas do comércio do IBGE.

“Embora o desempenho tenha sido negativo no mês, é importante ressaltar que houve uma clara assimetria nos resultados setoriais. Dos 8 grupos analisados pelo levantamento, 3 registraram queda, 4 ficaram no positivo e 1 segmento apresentou estabilidade”, destaca o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze, em nota.

No campo negativo, o destaque foi o setor de eletrodomésticos e eletrônicos, com queda anual de 27,7%. Essa atividade tem sofrido por conta do aumento dos juros, uma vez que os produtos, como geladeira, fogão, televisor, por exemplo, são adquiridos, em sua grande maioria, com pagamentos parcelados.

Outra queda foi do segmento de móveis e decoração, de -22,1% na comparação anual. A explicação é basicamente a mesma do desempenho dos eletroeletrônicos. Os juros altos também impactam o setor da construção civil e novos lançamentos imobiliários. Ou seja, menos demanda para mobiliar casas e apartamentos novos. As lojas de materiais de construção seguiram a tendência negativa e registraram retração em fevereiro de 5,6%.

Dos setores que apresentaram aumento no faturamento em fevereiro, o destaque vai para as farmácias e perfumarias, de 22,7%, recorde para o mês da série do levantamento da Fecomércio-BA, iniciada em 2011. Outra alta importante foi do segmento de vestuário e calçados, de 22,1% na comparação anual. Os  supermercados ficaram com faturamento 1% superior ao de fevereiro de 2021.

 

Foto: Reprodução