VENDAS DO VAREJO BAIANO CRESCEM DE JANEIRO PARA FEVEREIRO (2,3%)

VENDAS DO VAREJO BAIANO CRESCEM DE JANEIRO PARA FEVEREIRO (2,3%)

Em fevereiro de 2022, as vendas do varejo na Bahia registraram um segundo crescimento consecutivo frente ao mês anterior (2,3%), após sete recuos seguidos nessa comparação, que não leva em conta influências sazonais. Foi o maior aumento das vendas do comércio varejista no estado, para um mês de fevereiro, em 16 anos, desde 2006, quando a alta frente a janeiro havia sido de 3,4%. Apesar do novo resultado positivo, o volume de vendas na Bahia em 2022 ainda segue abaixo do patamar registrado em fevereiro de 2020, no pré-pandemia (-4,8%). Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do IBGE.

O desempenho do comércio varejista baiano entre janeiro e fevereiro (2,3%) foi melhor do que o nacional (1,1%) e acompanhou o movimento de alta verificado em 26 das 27 unidades da Federação, liderado por Amapá (8,0%), Rondônia (8,0%) e Acre (5,9%). Só Tocantins (-3,7%) registrou queda. A Bahia, por sua vez, teve apenas o 13º resultado.

Já na comparação de fevereiro/22 com fevereiro/21, o resultado das vendas do varejo na Bahia seguiu negativo (-3,3%), mostrando a sétima queda consecutiva (recua mensalmente desde agosto/21) e pior do que o do país como um todo (1,3%). Ainda assim, verifica-se uma diminuição progressiva no ritmo de queda (o recuo é menor a cada mês) desde novembro de 2021.

Frente a fevereiro de 2021, 9 das 27 unidades da Federação tiveram retração nas vendas do varejo. Os piores resultados foram registrados em Pernambuco (-7,7%), Sergipe (-7,0%) e Piauí (-5,0%). A Bahia veio logo em seguida, com o 4º recuo mais intenso. No outro extremo, os melhores resultados vieram de Amazonas (21,3%), Roraima (17,8%) e Acre (16,5%).

Com o desempenho de fevereiro, as vendas do varejo baiano acumulam queda de 5,5% nos dois primeiros meses de 2022, frente ao mesmo período do ano passado. É a terceira retração mais profunda, ao lado da verificada no Amapá (-5,5%), melhor apenas que os recuos em Sergipe (-8,0%) e Pernambuco (-7,7%).

No Brasil como um todo, o varejo acumula variação negativa (-0,1%) no ano de 2022, e só 11 das 27 unidades da Federação mostram alta das vendas, lideradas por Amazonas (28,4%), Roraima (12,4%) e Espírito Santo (8,7%). No acumulado nos 12 meses encerrados em fevereiro (frente aos 12 meses anteriores), o varejo baiano também segue no negativo (-0,8%).

Nesse confronto, o estado manteve o oitavo pior resultado do país. O Brasil como um todo mostra avanço de 1,7%. Rondônia (8,6%) Piauí (8,0%) e Espírito Santo (7,8%) lideram entre os resultados positivos, enquanto Tocantins (-6,3%), Sergipe (-4,4%) e Paraíba (-3,9%) mostram as quedas mais intensas.

Foto: divulgação