EFEITOS DA GUERRA DA UCRÂNIA CHEGAM AO BOLSO DO CONSUMIDOR DE SALVADOR, DIZ FECOMÉRCIO

EFEITOS DA GUERRA DA UCRÂNIA CHEGAM AO BOLSO DO CONSUMIDOR DE SALVADOR, DIZ FECOMÉRCIO

Após alta de 0,83% em fevereiro, a inflação na Região Metropolitana de Salvador acelerou em março e registrou variação de 1,53%, acumulando 12,13% nos últimos 12 meses, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE. Os números do mês mostram os impactos negativos da guerra da Ucrânia sobre o bolso dos consumidores, segundo avaliação da Fecomércio-BA divulgada nesta quarta-feira, 13.

“O Brasil é autossuficiente na produção de petróleo, mas não no refino. Por isso, há a necessidade de enviar a mercadoria para o exterior e recomprar pelo preço internacional. Assim, forçou a Petrobras a reajustar os preços da gasolina, do óleo diesel e do gás de cozinha”, esclarece o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze.

O grupo de Transportes obteve acréscimo de 3,48%, responsável por 45% da alta no mês. A gasolina, item individual que mais pesa no IPCA e, por consequência, nos gastos das famílias, subiu 6,74%. O óleo diesel, por sua vez, subiu 14,10%. E se fica caro o preço da gasolina, também contribuiu para aumentar, por exemplo, o transporte por aplicativo. No mês, o aumento foi de 2,24%.

O segundo grupo que mais pesou no IPCA da RMS em março foi o de Alimentos e Bebidas com a alta de 1,89% e impacto de 0,43 ponto percentual. Vale a ressalva que esse grupo é o de maior peso no indicador de preço, com 22,6%. São dois os principais motivos, a alta do óleo diesel que encarece o frete rodoviário, e a alta das commodities agrícolas no mercado internacional, como soja, milho e trigo.

“A Rússia e Ucrânia produzem cerca de 30% do trigo mundial e por isso houve uma explosão no preço internacional. E o consumidor de Salvador também sentiu o efeito. O pão francês, tradicional no café da manhã, subiu 6,23% só neste mês e acumula quase 10% no primeiro trimestre”, lembra o economista.

 

Foto: Reprodução