EMPRESAS PRIVADAS E SETOR PÚBLICO ESTÃO SOFRENDO CIBERATAQUES NA BAHIA. VEJA QUAIS

EMPRESAS PRIVADAS E SETOR PÚBLICO ESTÃO SOFRENDO CIBERATAQUES NA BAHIA. VEJA QUAIS

As empresas públicas e privadas da Bahia ainda não se conscientizaram da necessidade de adotar medidas segurança contra ataques cibernéticos que vem atingindo várias empresas no Estado. Em 2021, grandes empresas baianas foram vítimas de hackers, a exemplo da Rede Bahia que teve dados pessoais de funcionários e ex-profissionais do conglomerado vazados, atingindo também o jornal Correio que ficou três dias sem circular.

Outra empresa atacada por dois ataques cibernéticos em 2021 foi a Rede Atakarejo  onde os hackers criptografaram todos os arquivos do ambiente de rede, o que obrigou a companhia a ampliar suas defesas, embora não se constatasse efeitos relevantes.  Em 2022, a Bridgestone, uma das maiores fabricantes de pneus do mundo, também precisou desconectar suas fábricas da internet, inclusive a de Camaçari, em 27 de fevereiro, naquilo que a empresa chamou de  “incidente de segurança de informação”.

Na verdade foi um ciberataque que em janeiro atingiu mais de 20 sites do governo do Estado da Bahia que são hospedados pela Prodeb, a Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia. Até hoje o sistema não foi completamente restabelecido e a maior parte dos portais não são acessados diretamente, mas encaminhados aos portal da Prodeb que direciona o internauta. O site da Secretária de Segurança Pública foi o primeiro a ser atacado. Já o site da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais – Sei , ainda permanece fora do ar, após ter aparecido durante meses identificado por  caracteres chineses.