BC SOBE SELIC A 10,75% E JUROS BÁSICOS VOLTAM AOS DOIS DÍGITOS APÓS QUATRO ANOS E MEIO

BC SOBE SELIC A 10,75% E JUROS BÁSICOS VOLTAM AOS DOIS DÍGITOS APÓS QUATRO ANOS E MEIO

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central subiu a taxa básica de juros de 9,25% para 10,75% ao ano – o maior patamar desde maio de 2017, e iniciou 2022 com mais uma alta de 1,50 ponto porcentual da Selic, sacramentando seu retorno aos dois dígitos, após mais de quatro anos.

A decisão desta quarta-feira, 2, foi a oitava alta consecutiva da Selic, após a taxa chegar à mínima histórica de 2% devido aos primeiros impactos da pandemia de covid-19 sobre a economia.

Indicado pelo Copom no encontro de dezembro, o movimento de hoje já era esperado pelo mercado financeiro. A previsão era de aumento de 1,50 ponto porcentual da taxa básica de juros, de 9,25% para 10,75%. Para o fim deste ano, a estimativa é que a Selic chegue a 11,75%. Economistas ainda especulam taxa de 8% no final do ano que vem.

O aumento do juro básico da economia reflete em taxas bancárias mais elevadas. A elevação da taxa de juros também influencia negativamente o consumo da população e os investimentos produtivos.
Juro real

Com os oito últimos aumentos da Selic, o Brasil voltou a ter a maior taxa de juro real (descontada a inflação) do mundo, em uma lista de 40 economias. Cálculos do site MoneYou e da Infinity Asset Management indicam que o juro real brasileiro está agora em 6,41% ao ano. Na sequência, aparecem Rússia (4,61%) e Colômbia (3,02%). A taxa real média desses 40 países está em -1,27%.