PRIVATIZAÇÃO DA RLAM ELEVA PREÇO DA GASOLINA NA BAHIA, DIZ ESTUDO

PRIVATIZAÇÃO DA RLAM ELEVA PREÇO DA GASOLINA NA BAHIA, DIZ ESTUDO

Os preços da gasolina no estado subiram após a privatização da antiga Refinaria Landulpho Alves (RLAM), segundo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Estudos Políticos, através de dados de preços disponíveis no site da Petrobrás e no site da  Acelen.

“O fato de a privatização das refinarias gerar maiores preços é uma dedução lógica em base a dois fatores centrais. Primeiro, a privatização das refinarias da estatal entregará a agentes privados monopólios regionais do mercado de combustíveis. O segundo fator é que, com a venda das refinarias, o PPI se tornará o piso, e não mais o teto do preço dos combustíveis. Como a Petrobrás hoje sequer consegue suprir a demanda total de combustíveis do país, a única concorrência será via importação”, descreve o estudo.

Ainda segundo a pesquisa, nas duas primeiras semanas após a privatização a Mataripe continuou vendendo 2 centavos mais barato do que a Petrobrás, depois passou 3 dias vendendo 7 centavos mais caro, mas após isto passou a vender a Gasolina A 3 centavos mais barato do que a Petrobrás. Na virada do ano de 2022 a história muda completamente.

Desde o primeiro dia de janeiro, a Acelen não vendeu mais gasolina abaixo do preço das outras refinarias, como havia ocorrido historicamente. Na verdade, em média, a Acelen passou a vender a gasolina 13 centavos acima do restante das refinarias. E com o seu último reajuste (22/01) a Acelen já cobra 15 centavos a mais do que a Petrobrás.

 

Foto: Reprodução